opinião

Os 25 anos do MPA

Um forte grito ecoou nas beiras das estradas gaúchas 25 anos atrás, denunciando abandono diante de uma severa estiagem e exigindo apoio governamental para sobreviver no campo.

O Brasil com S é maior que Bolsonaro

Uma das coisas cafonas do momento é ouvir gente falando que o Brasil não tem jeito.  Raciocínio preguiçoso, acomodado e desmobilizante. Parece até a febre provocada pelo vírus do complexo de vira-lata. Aquele mesmo, o velho conhecido. É certo que o Brasil tem...

Precisamos desarmar nossas bombas de ódio

Ando assustada com a quantidade de pessoas que se tornaram especialistas em ofender, tripudiar e acionar uma carga de sentimentos negativos em relação ao outro. Como alguém da área de comunicação social produzo conteúdo aqui e ali e, por dever de ofício necessito acompanhar esses ecossistemas diariamente.

Por que o MBL tem medo dos mandatos coletivos?

Mal começou o ano e os integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) já iniciaram sua guerra lacradora contra os mandatos coletivos eleitos para a Câmara Municipal de São Paulo. O vereador eleito, Rubinho Nunes, anunciou em suas redes que irá “derrubar” esse tipo de mandato. Mas por que o MBL teme tanto esses mandatos?

O resgate da esperança

O ano de 2020 terá sido o fundo do poço? Há controvérsias, mas eu quero que sim. Digo que quero porque não sei, não tenho luzes de profeta e me surpreendo, sempre, com os caprichos do destino. Mas também quero porque, sem o querer, não há esperança que se realize. Queiramos, então, para começarmos a emergir em 2021.

Feliz ano novo com velhos problemas (para as mulheres)

Vocês já devem ter visto vídeos como esses circulando nos for yours ou repostado no Instagram. Para essas pessoas, sinto informar – a maior parte das mulheres passa por essas experiências na nossa sociedade. Surpresa ou não, o mundo não é a nossa bolha identificadora de relacionamentos tóxicos que acreditamos ser.

Não mais virgens – o natal das mulheres

Nesse Natal quero nos lembrar da virgem para que jamais nos curvemos a ela. Quero trazer à memória a mulher que crendo num Deus, que não viola corpos, deu a ela o poder de decidir receber o espírito em seu corpo.

Entrevista com zumbi-evangélico

A surpresa de um amigo, que foi aluno e que hoje é pastor de uma grande agremiação religiosa neopentecostal escrever pedindo um encontro, segundo ele “para falarmos de religião” – celebrei o convite

Maconha em casa

Já defendi vários plantadores de maconha presos como traficantes em casa, por denúncia anônima, que faziam o autocultivo de pequena quantidade para uso próprio. Sou constantemente consultado por usuários que fumam em seu apartamento e são ameaçados por vizinhos.

A volta do cipó de aroeira no lombo de quem mandou dar

A prefeita Socorro Neri (PSB) cometeu um grave erro. Escondeu da população o sério problema que vinha – e ainda vem – acontecendo com as empresas concessionárias do serviço público de transporte coletivo aqui de Rio Branco.

O enigma de Eduardo Lourenço 

Há algo intrigante e inusitado na posição do Portugal oficial para com Eduardo Lourenço: o consenso que se gerou à volta das suas ideias e o reconhecimento virtualmente unânime do seu altíssimo mérito intelectual.

O presidente pode matar?

Fernando Collor foi deposto por corrupção. Dilma Rousseff, por pedalada fiscal. Roubar dinheiro público e produzir rombo fiscal são práticas graves, geram danos à população e a lei prevê sua punição, com a perda do mandato presidencial. E matar? Pode? Essa é a pergunta que não quer calar.

O espírito escravocrata das elites brasileiras

No dia 23 de novembro de 2020, o Grupo Especializado de Fiscalização Móvel do Ministério Público do Trabalho da 18° região, realizou operação em que foram libertados de trabalho análogo à escravidão 7 homens.

Lista de detratores para quê?

É estarrecedor a lista de detratores produzida pelo Governo a cargo de uma empresa de Comunicação terceirizada. Mais de 100 pessoas constam no documento que mais parece um relatório do SNI da brutal década de 70 do que um mero clipping jornalístico doméstico.

De repente 90’s – um revival do caos

A década de 1990 foi a consolidação do projeto ditatorial brasileiro. Aquele era o modelo de sociedade, política e cultura que a Ditadura Militar (1964-1988) desejava para todos e todas nós.

Recapitulando

Algumas das milhões de mortes que nosso povo está acostumado a ver e infelizmente não reagimos.

Um ano do massacre de Paraisópolis

Dois dias após as eleições municipais em São Paulo, uma triste efeméride bate à porta: um ano da morte dos nove jovens negros e periféricos assassinados por policiais militares no Baile da DZ7, em Paraisópolis.

Para Ver a Luz do Sol. 40 anos de reexistência cosmopolítica no Bixiga

31 de outubro de 1980. Há 40 anos, numa Mesa de Trabalho no Teatro Oficina, Lina Bardi desenhava seu Projeto do Teat(r)o Oficina virado Terreiro Eletrônico. Otavinho Frias, que estava lá na ocasião pra uma Entrevista da Folha, sai por um momento para atender a Porta. Era um Oficial de Justiça que nos entregou um Documento da Proposta de Compra do Teatro, feita por Silvio Santos aos Proprietários do Terreno, dando a nós, à época, locatários, a Preferência de um Mês para Compra, com a Entrada de Cr$2 milhões de Cruzeiros.

São Paulo merece Erundina

A vida da Erundina e sua participação nas eleições evidencia o potencial da vida humana, da vida velha e da mulher. Evidencia a importância da coletividade, da aliança entre gerações.