opinião

Trabalhadores do RJ que vendem água mineral na rua para você, sequer têm água mineral em casa para beber

Com a crise da água no Rio de Janeiro, a população carioca ainda recebe em sua casa água com cheiro, cor e gosto de terra. Desde o início do mês de janeiro, houve um crescimento na procura por água mineral em mercados que aumentaram os preços e, como forma de controlar a venda do produto, limitaram a compra de garrafas por pessoa.

Carta a Raull Santiago

Poderia enviar uma mensagem direta por WhatsApp, ou em algum dos grupos que participamos juntos, mas decidi usar minha coluna, aqui, para tornar pública uma carta a Raull Santiago, um dos mais importantes ativistas periféricos da última década.

Trans nos esportes: o projeto, a incoerência e a transfobia

O projeto de lei 346/19 foi retomado e será votado pela Assembleia Legislativa de São Paulo. O projeto propõe que o sexo biológico seja o único critério para definição do gênero dos atletas em competições. Isso não só é discriminatório, como também será desastroso.

Somos todas domésticas?

As trabalhadoras domésticas foram vítimas de preconceito de classe, de raça e de gênero pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, no dia 12 de fevereiro. Em um seminário em Brasília, justificando a alta do dólar, ele afirmou: “empregada doméstica estava indo para Disney, uma festa danada”.

A festa é nossa, o corpo é meu!

A chegada do Carnaval acende um tema que atinge de maneira cortante a vida das mulheres: o assédio sexual. Um tema que para nós, feministas, é permanente. Carnavalizar é palavra de ordem: destronar o patriarcado, seus reis machistas e racistas é a luta da vez.

Madá, o ciberespaço e a história da internet

Madalena nasceu em 2011 e Madá é o apelido que sua avó escolheu pra ela. Assim como suas amigas, ela gosta do Habbo porque os avatares podem ser criados com cores diferentes, cabelos irados e até roupas exclusivas. Mas o que Madalena e suas amigas nem imaginam é que elas vivem em um ciberespaço.

Um Posto Ypiranga sem combustível

Nesse início de 2020, os indicadores econômicos nos chamam a atenção pelos seus comportamentos descendentes, resultantes de uma política econômica desastrosa – porém, falaciosa, que esconde os seus verdadeiros e perversos efeitos com muita propaganda – prenúncio de um possível desastre que está por vir.

Politizar é carnavalizar

O espírito do carnaval é ironizar e gozar, carnavalizar essa sociedade hipócrita e as relações de poder, quando todos se misturam na rua, palco da festa.

O desenvelhecimento do mundo

Na vida pessoal, o envelhecimento depende menos da idade fisiológica do que da idade social. A idade social é inversamente proporcional à capacidade de pensar, sentir e viver o novo como futuro, como tarefa, como presente por experimentar.

Feminismo, Big Brother, bolhas e classes sociais

Recentemente, escutei uma conversa entre três pessoas negras e pobres na entrada de um prédio comercial: uma recepcionista e dois seguranças. Eles estavam falando sobre Big Brother e “um tal de feminismo e direitos das mulheres”.

A racialização do homem branco que se faz de régua e regra

A história do ocidente é marcada pela ação do homem branco em definir tudo a partir de si mesmo. Nos estudos de masculinidades, por exemplo, veremos que as demais expressões de masculino, fora daquilo performado por brancos, como brancos, para brancos, foram chamadas de “masculinidade subalternas”.

Acessibilidade e portabilidade à prova da ignorância

A internet e os smartphones são duas das maravilhas do mundo contemporâneo. Porém, com a mesma intensidade de seus benefícios, o efeito colateral da dupla é a proliferação, em escala global, da informação de péssima qualidade e, muitas vezes, inútil.

As ricas também sofrem!

Quando a gente fala de Patriarcado, Tradição, Família e Propriedade parece uma abstração e um clichê, mas aí você vê a mídia inteira replicar a frase: “Nunca teve nada com ela”, diz mãe de Gugu sobre relação do filho com Rose Miriam. E se pergunta: mas como a mãe de 3 filhos do cidadão “nunca teve nada com ele”.

“Exigimos a cura contra Bolsonaro”, uma resposta de pessoas vivendo com HIV

Não nos use como desculpa para perseguição política e destruição da democracia. Existimos antes dos partidos políticos. É pedir demais para você ler um pouco da história? O Brasil foi um modelo para toda a região no acesso aos medicamentos para o HIV e no combate à discriminação contra pessoas com HIV.

ARESP 1625710/RJ do plantador de maconha

A conduta que condena um plantador de maconha a entre 5 e 15 anos de reclusão está prevista no artigo 33, § 1º. inciso II, da Lei 11343/2006. Entretanto, este tipo penal não se adequa à Cannabis Sativa, pois, segundo o artigo, a mesma é aplicada para quem “semeia, cultiva ou faz a colheita de plantas que se constituam em matéria-prima para a preparação de drogas”.

A demagogia governamental contra o Bolsa Família

A tentativa de tornar permanente o pagamento de 13º aos integrantes dos programas Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada encontra cada vez mais dificuldades no Congresso Nacional. Na semana da volta dos trabalhos legislativos, duas sessões marcadas para discutir o tema foram canceladas por falta de quórum.

E o pessoal dos Direitos Humanos? 

A defesa dos direitos humanos, em um momento de polarização política, transita entre indiferença e o ódio por parte da humanidade. Essa relação fica explícita quando, diante de barbáries, questiona-se: E o pessoal dos direitos humanos? Esses defensores de direitos humanos só defendem bandidos.

A Petrobras está dentro de nossas casas

O ônibus que nos leva até a rodoviária, até o bairro ou até o centro da cidade é movido a diesel, com petróleo extraído do fundo do mar, pela Petrobras e seus trabalhadores, com tecnologia de exploração em águas profundas desenvolvida por engenheiros e cientistas desta nossa amada nação.

Petrix expulso?

Em sua nova coluna na Mídia NINJA, Isa Penna comenta sobre os fatos que envolvem o participante.

Retórica do cinismo, lógica da pós-verdade

O presidente Jair Bolsonaro e seus ministros carecem de um traço característico dos homens públicos sérios, dos verdadeiros estadistas. Lhes falta a hombridade, a dignidade e a honradez de assumir os próprios erros para, ao menos, tentar corrigi-los. Estão sempre procurando culpados dentre os seus adversários, apontando o dedo para os outros.

Fora Weintraub!

Respeito. Esse deve ser um dos nortes da gestão pública. Governantes devem ter o senso de responsabilidade e saber que sua atividade e suas decisões impactam profundamente a vida das pessoas.

Cavalo de Troia

Lembro-me dos sentimentos que atravessaram minha existência quando resolvi assumir minha transição de gênero. Meu nome era Bianca, lésbica separatista, anarquista e que há alguns anos acumulava certas dores e angústias em relação à heterossexualidade, sobretudo, a masculina e seus comportamentos abusivos e legais perante o resto do mundo.

A cultura incomoda?

Conhecimento, identidade, potência e capacidade crítica são elementos transformadores. Cultura é além do que se vê ou se toca, mas o que se é. Possibilitar que o povo seja potencializado pelo trinômio educação, ciência e cultura é emancipador e transformador. E é justamente por isso que o governo estabeleceu seus alvos ideológicos e atirou suas mordaças.

Violência simbólica e violência real

Além do absurdo Projeto de Lei que propõe a revisão dos limites da Reserva Extrativista (Resex) Chico Mendes, bem como a transformação do Parque Nacional da Serra do Divisor em Área de Proteção Ambiental (APA), duas outras situações me chamaram a atenção nos últimos quinze dias.

Dois absurdos ambientais em um único projeto de lei

Sob o falso pretexto de regularizar a situação de posseiros que já habitavam as terras da Reserva Extrativista (Resex) Chico Mendes antes de sua demarcação, a deputada federal Mara Rocha (PSDB-AC) apresenta projeto de lei com o objetivo de promover uma revisão dos limites desta UC.

O silêncio das igrejas sobre sexo é ensurdecedor

Muito se fala sobre a doutrina, moral e a proibição do sexo antes do casamento, mas nada se fala sobre educação sexual. Vejam, se o sexo é algo tão sagrado e importante, por que não ensinamos nossos jovens sobre ele?

O culto a São Lázaro faz lembrar dos corpos que se deseja esquecer

No próximo domingo, Salvador vai festejar São Lázaro. A homenagem ao protetor dos doentes, especialmente os que sofrem de doenças na pele foi uma das celebrações que analisei na minha tese de doutorado intitulada Festa de Verão em Salvador: um estudo antropológico a partir do acervo documental do jornal A Tarde.

 Guedes tropeça na saca de milho

O arranjo econômico de Paulo Guedes vai tropeçar numa saca de milho. A economia neoliberal parte do pressuposto de que os fluxos de mercadorias, circulação financeira e consumo acontecem em equilíbrio, ou, ao menos, tendem ao equilíbrio, autorregulado pelas leis do mercado. Assim creem. Isto mesmo, é uma crença, embora dita, ciência.

Reflexões sobre o amor na luta contra o racismo

Já faz algum tempo que me dedico a compreender as dinâmicas de afetividade dentro das comunidades pretas. Me chama atenção pensar que, se por um lado, o racismo criou espaços e condições de desamor, por outro, há uma força que, ainda no caos, aponta para a urgência de fortalecer e garantir experiências de afeto.

E quando quem tá para servir, te persegue?

Sobre o caso do motoboy agredido por policial militar no Distrito Federal, vejam só como é a construção dessa narrativa e como mudaram o foco das coisas. No domingo, motoboy ele é agredido e ameaçado. Hoje ele encontra-se detido por suspeita de moto clonada. Daí uma galera esquece o fato do domingo e só valida o de hoje.

Liberais na economia, nazistas nos costumes

O episódio ocorrido na sexta-feira, 17/01, envolvendo o ex-secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, é um dos mais abjetos, dentre os ocorridos até agora, no governo Bolsonaro.

Quando se demonizam os evangélicos…

A pesquisa lançada pelo Datafolha sobre quem são os evangélicos brasileiros já nasce antiga. Há tempos temos falado sobre quem é e de onde fala o nosso povo. Marcados por uma jornada de desigualdades e injustiças sociais, o povo evangélico está na linha de frente nas resistências e lutas contra as doenças do capital.

Black face, white power

Este texto é para gente preta ou de quebrada convivendo em espaços de militância branca. Quem quiser pode ficar à vontade para discordar ou simplesmente ignorar esses breves parágrafos. Ele não nasce de nenhuma situação específica. Eu não me inspirei em você pra escrever, ok?

Passarinho que come pedra…

Após o assassinato do general Qassim Soleimani, segundo homem na hierarquia iraniana do poder, em questionável ação militar orquestrada pelos EUA, o Itamaraty açodou-se em emitir uma nota, de teor acintoso ao Irã, em que afirmava “apoio à luta contra o flagelo do terrorismo”.

Trump é o fim do mundo?!

Comemorei o fim do terrível 2019 acreditando na paz e no amor para 2020. No entanto, logo no terceiro dia do ano, acordamos num mundo ameaçado por uma guerra nuclear. O presidente da maior potência militar do planeta resolveu assassinar o segundo maior líder político do Irã, o General Soleimani, em atentado com característica terrorista.

Sopram bons ventos da Espanha

Pela primeira vez desde a transição democrática de 1978, os dois principais partidos de esquerda unem-se para formar governo. A articulação de esquerda de que Portugal foi pioneiro na Europa a partir de 2016 teve um papel importante ainda que indiretamente na solução espanhola.

Ao longo de um século, Estados Unidos matam 100 milhões de pessoas

O jornalista e ex-professor Urias Rocha, de Mato Grosso do Sul, realizou uma breve cronologia das invasões e ataques dos Estados Unidos ao redor do mundo nos últimos 150 anos. A quantidade de mortes pelas quais são responsáveis é de aproximadamente 110 milhões de pessoas. Nunca foram denunciados formalmente ante tribunais internacionais.