Márcio Santilli

Bolsonaro queima o filme do Brasil com discurso cínico na ONU

Nessa terça-feira (22), Bolsonaro discursou na abertura virtual da Assembleia Geral da ONU, a Organização das Nações Unidas. A prerrogativa desse pronunciamento inicial é uma honraria para o Brasil que, no entanto, Bolsonaro desonrou.

A hora do continuísmo

Há determinadas conjunções astrais que exacerbam, ao mesmo tempo, a carência de poder contínuo de vários atores institucionais.

Eleições municipais são desafio para povos indígenas

Historicamente, eleições municipais são momentos em que se agravam os conflitos, as ameaças e as situações de violência contra os povos indígenas e outras minorias. Candidatos e forças políticas locais buscam impressionar e enganar os eleitores para obter votos.

Grilagem online só pode aumentar desmatamento

A ideia de regularização, em si, parece ser uma providência necessária e racional para colocar ordem na situação das terras na Amazônia, mas que não deve ser ignorada, nem colocada como condição prévia para a solução de todos os males.

Bolsonaro fora do mundo

O chefe já disse: “O Brasil vai ter que se virar”. Como? Com cloroquina e isolamento total!

Eclipse presidencial

Desde que tiraram o bode da sala, paira uma estranha sensação de que ficamos congelados dentro de uma panela de pressão. É como se 2020 tivesse acabado, de repente...

A síndrome do genocídio

A palavra “genocídio” tem sido pronunciada com frequência nesses dias. O pano de fundo é a pandemia do covid-19. Mas seria vã a sua atribuição a um vírus, supostamente desprovido de intenção. Então, a palavra tem sido associada à omissão deliberada ou à inépcia do governo, ou do presidente, no combate à sua disseminação.