O fantástico mundo de Paulo Guedes apareceu novamente. Dessa vez, o ministro de Bolsonaro disse que no Brasil há mais aparelhos iPhone do que cidadãos brasileiros, ao falar da reclamação da população sobre o preço da gasolina.

“A pandemia nos jogou aceleradamente para um futuro que nós já estávamos vivendo. O nosso presidente já era um presidente digital. Já somos o quarto maior mercado digital do mundo. Tem mais iPhones no Brasil do que população. Os Brasileiros têm um, dois iPhones às vezes”, disse o ministro.

Na ocasião, Guedes participava da cerimônia de apresentação do Plano Nacional de Fertilizantes, um dos grandes debates sobre os efeitos econômicos da guerra na Ucrânia no Brasil.

“Na hipótese mais benevolente, o ministro confundiu “celular” com ‘smartphone da Apple’, um produto mais caro – no Brasil, o aparelho topo de linha custa R$ 14.972,00. Uma confusão comum para quem acha que o país se resume à Faria Lima e empregadas domésticas viajam demais à Disney”, escreveu o jornalista Leonardo Sakamoto.

Ainda assim, a declaração de Guedes foi feita em um contexto de avaliação positiva de políticas econômicas voltadas à tecnologia no governo Bolsonaro. Ainda que haja mais smartphones que gente, a relação de igualdade e distribuição da riqueza entre os brasileiros não é assim tão simples.

Ele esquece que em nosso país, há 116 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar, e 19 milhões de pessoas passando fome, o gás de cozinha está mais de 100 reais, e o litro da gasolina chega a dez reais em alguns estados brasileiros. Guedes disse que os brasileiros “tem 1, 2 iPhones às vezes”, em um país onde 12 milhões de pessoas estão desempregadas.

Sua fala repercutiu nas redes, confira alguns tweets sobre a realidade fantasiosa do atual ministro da Economia. Confira:

https://twitter.com/edumilsonpapo10/status/1502768729599451144?t=Ud8QSeRUflaO4jbuYtARRw&s=19