Cleidiana Ramos

Precisamos desarmar nossas bombas de ódio

Ando assustada com a quantidade de pessoas que se tornaram especialistas em ofender, tripudiar e acionar uma carga de sentimentos negativos em relação ao outro. Como alguém da área de comunicação social produzo conteúdo aqui e ali e, por dever de ofício necessito acompanhar esses ecossistemas diariamente.

O dia em que meu nariz me definiu como negra - notas sobre o racismo à brasileira

Em 1996 eu estava na metade do curso de jornalismo na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (Facom- Ufba). Nesse ano, meu pai Pacífico Teixeira Ramos (1933-2004), conhecido como Chico Preto, foi candidato a prefeito em Iaçu, município onde cresci e que fica a 275 km de Salvador na região da Chapada Diamantina. […]