Bancada Feminista do PSOL

Por que o MBL tem medo dos mandatos coletivos?

Mal começou o ano e os integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) já iniciaram sua guerra lacradora contra os mandatos coletivos eleitos para a Câmara Municipal de São Paulo. O vereador eleito, Rubinho Nunes, anunciou em suas redes que irá “derrubar” esse tipo de mandato. Mas por que o MBL teme tanto esses mandatos?

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Era o dia 29 de setembro de 2018. Mulheres de todo o país lideraram o que foi uma das maiores manifestações políticas dos últimos anos. Era véspera do primeiro turno das eleições que, posteriormente, confirmaram a eleição de Jair Bolsonaro à presidência da República.

A Bancada Feminista do PSOL está eleita! Muito obrigada.

Queremos usar a coluna de hoje para agradecer os mais de 46 mil votos de confiança e esperança que foram depositados para que a Bancada Feminista do PSOL se elegesse como a segunda maior candidatura do PSOL em São Paulo.

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Nós, essas cinco mulheres, queremos levantar a bandeira do feminismo antirracista, coletivo e diverso nestas eleições. A seguir, apresentamos três motivos para ajudar a eleger a Bancada Feminista do PSOL para a Câmara Municipal de São Paulo.

Carta a Mari Ferrer

Mari, nós assistimos às cenas da audiência da 3ª Vara Criminal de Florianópolis e fomos parte da indignação que tomou o país quando elas se tornaram públicas. Doeu muito, deu muita raiva em todas nós.

Quem é Ricardo Nunes, o vice de Bruno Covas?

Bruno Covas tem adotado uma linha “paz e amor” em sua campanha eleitoral. Faz críticas à direita bolsonarista e, ao mesmo tempo, adota um discurso contra a esquerda. Porém, será que seu centrismo resiste a um olhar mais detido sobre seu candidato a vice prefeito, Ricardo Nunes? Numa pesquisa rápida, logo se vê que não.

O agro é fogo, o agro é fome

O modo de produção do agronegócio, além de ser destrutivo, é completamente incompatível com a existência equilibrada entre sociedade e natureza.