A Cesta Camponesa é uma experiência desenvolvida pelo Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) em diversos estados brasileiros. No Rio de Janeiro, as atividades da Cesta Camponesa iniciaram em setembro de 2015. Desde então, nosso objetivo é oferecer alimentos orgânicos, agroecológicos ou em processo de transição agroecológica. Todos os alimentos da Cesta Camponesa são provenientes da agricultura camponesa e da luta popular por Soberania Alimentar e Reforma Agrária Popular.

Em maio de 2017, o Movimento dos Pequenos Agricultores inaugurou o Raízes do Brasil, espaço de alimentação saudável, cultura e política que se tornou um ponto central para a estruturação da cesta camponesa no Rio de Janeiro. Em função da pandemia da COVID19, o Raízes do Brasil fechou as portas ao público. No entanto, o trabalho não parou e todos os esforço estão sendo feitos para manter o espaço em funcionamento à partir da expansão da Cesta Camponesa para outros bairros da cidade e do aumento do número de entregas durante a semana. Durante a pandemia foram comercializadas mais de 15 mil cestas em mais de 30 bairros da cidade do Rio de Janeiro e Niterói, em entregas feitas duas vezes por semana. Além da Cesta Camponesa, acontece a Feira Camponesa toda quarta e sábado no Raízes do Brasil, em Santa Teresa, na região central do Rio de Janeiro. Esse trabalho permitiu a comercialização de mais de 200 toneladas de alimentos agroecológicos de famílias camponesas, cooperativas e produtores urbanos.

A Cesta Camponesa, além de oferecer alimentos saudáveis, fortalece a construção do Sistema de Abastecimento Alimentar Popular (SAAP) do MPA. O SAAP propõe desenvolver outras relações sociais, econômicas e culturais entre as famílias camponesas, produtores urbanas e  consumidores, denominados cestantes. Por meio da Cesta Camponesa também levamos alimentos para famílias em situação de insegurança alimentar através da campanha de solidariedade “Mutirão contra a Fome”, que no Rio Janeiro já distribuiu mais de 10 mil cestas para 10 favelas nas cidades do Rio de Janeiro, Niterói, Maricá, Quatis, Volta Redonda e Campos dos Goytacazes. O SAAP busca contribuir também para difundir a necessidade de termos um projeto nacional que tenha por base a Soberania Alimentar do Brasil.

Neste mês de abril foi lançado o novo site da Cesta Camponesa de Alimentos Saudáveis, no endereço www.cestacamponesa.com.br – com o objetivo de facilitar o acesso dos cestantes à produção camponesa e melhorar o processo de gestão e logística da produção e distribuição dos alimentos agroecológicos. Para comprar os alimentos da Cesta Camponesa, basta acessar o site, fazer o cadastro e aguardar a liberação para fazer a primeira compra. A comercialização dos alimentos da Cesta Camponesa contribui de forma direta para o fortalecimento da Agroecologia Camponesa que, por sua vez, busca construir um sistema de distribuição de alimentos que permita tanto às famílias camponesas terem espaço de comercialização popular, quanto quem mora na cidade ter acesso a alimentos saudáveis, livres de veneno. Quem compra na Cesta Camponesa está contribuindo com a resistência camponesa e com a construção de outro projeto de agricultura no Brasil!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Renata Souza

Parlamentares na luta contra a LGBTIfobia

Juca Ferreira

Democracia no Chile e no Brasil

Colunista NINJA

Abolição inconclusa

Juca Ferreira

As ruas vida e morte

Márcio Santilli

A disputa pelo “Centro” e a chance da “terceira via”

Laryssa Sampaio

O medo de sentir medo da Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque

Álamo Facó

Marielle Franco e Paulo Gustavo vão derrubar Bolsonaro

Moara Saboia

Racistas e machistas não passarão!

Ana Claudino

Lésbicas também são mães

Márcio Santilli

Carta aberta ao Almir Suruí

Colunista NINJA

O nosso tempo é o tempo maré

Biamichelle

Gestão da diversidade feito por diversidades

Daniele Apone

Por que é importante entendermos o que é ESG e IDHP?

Renata Frade

Design e Tecnologia. Estudos de casos de "role models" femininos brasileiros

Carol Façanha

Mais que um símbolo