Exército na Rocinha – 26/09/2017 | Foto: Mídia NINJA

O Rio precisava de uma intervenção radical: eleições gerais e a saída do governador Pezão, mas a solução do (P)MDB para o fracasso da sua gestão é o teatro boçal das “Forças Armadas” que assumem nesta sexta o comando da segurança no estado do Rio de Janeiro inteiro por intervenção/decreto do vampirão, ridicularizado na Avenida e sem quorum no Congresso para votar a Reforma da Previdência.

O Rio virou o laboratório de um Frankenstein político, as pretensões do (P)MDB e do vampirão para se pendurarem no poder nas eleições de 2018, com uma “agenda popular”, já que a Reforma da Previdência subiu no telhado!

Além disso Temer Vampirão propõe criar um “Ministério da Segurança”, também de olho nas eleições e com isso “a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e a Força Nacional vão para o controle da nova pasta, o que esvaziaria a Justiça.”

(…) “Pesquisas encomendadas pelo Planalto mostram que a segurança é uma das principais preocupações da população, ao lado da saúde. Na avaliação de auxiliares de Temer, as iniciativas de decretar a intervenção na segurança pública do Rio e de criar um ministério para cuidar da área passam a imagem de que o governo federal não está inerte e age para enfrentar o problema, embora a competência no setor seja dos Estados.”

Temer — “É uma medida muito forte e o interventor fará o que for preciso para retomar o controle da segurança no Rio”

Maia — “Por uma questão de vaidade pessoal, não vou ficar contra mas também não vou opinar — desabafou Rodrigo Maia, com a voz entrecortada, segundo relato dos presentes.”

Pezão — “Rodrigo, não dá mais, o Rio está em estado de calamidade na segurança, não temos saída e não podemos adiar nem mais um dia!”

Cai o pano! O teatro da velha política é só isso! Passar ” a imagem de que o governo federal não está inerte.” O Rio é o laboratório do resto do Brasil, a vitrine-teste. Forças Armadas nas ruas de uma cidade global e de um país em pré-eleições é aquela última cartada de desespero da falta de projeto, da falta de inteligência, da falta de saídas. A tal da necropolítica!

E o pior, tem consequências letais e fatais para comunidades inteiras, para grupos inteiros: o cidadão matável, o policial matável, o salve, o 007 para prender e arrebentar do Estado brasileiro. A #necropolitica fracassou esplendorosamente no Rio e no Brasil, mas o imaginário militar salvador está ai, morto-vivo sendo invocado!

Temer será estudado no futuro como a síntese de todos os fracassos de uma era política. É quase um verbete de enciclopédia vivo de “tudo que está ai”.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

‘Caminho do meio’ para a demarcação de Terras Indígenas

SOM.VC

Gatunas: o poder da resistência e da representatividade na cena musical Paraibana

Jade Beatriz

CONAE: Um Marco na Revogação do Novo Ensino Médio

Ediane Maria

O racismo também te dá gatilho?

Bancada Feminista do PSOL

Transição energética justa ou colapso socioambiental: o momento de decidir qual rumo seguir é agora

XEPA

Escutar os saberes ancestrais para evitar a queda do céu, o sumiço do chão e o veneno no prato

Estudantes NINJA

A luta pela educação em São Paulo: contra os cortes e os inimigos da educação!

William Filho

Legalização da maconha na Alemanha: o início de uma nova onda?

André Menezes

Os sons dos vinis: um papo com Dj Nyack, diretamente da Discopédia

André Menezes

Eu preciso falar sobre o desfile da Portela

William Filho

Minha dica ao novo secretário de Justiça