Imagem: Caio Matuto / Design Ativista

BLACK FRIDAY

Na semana pós Black Friday – em que chamaram a atenção a nomeação do novo presidente da Fundação Palmares e sua complicada relação de negação para com o movimento negro; e acusações levianas do presidente da República, para quem o ator Leonardo DiCaprio seria responsável pelo financiamento de queimadas na Amazônia – nem bem havia acabado a segunda-feira e parecia que já era noite de sábado.

INCRÍVEL HULK AMAZÔNICO

O “Incrível Hulk”, Mark Ruffalo, saiu em solidariedade ao seu colega de cinema. Afirmou que Bolsonaro estaria criando um bode expiatório para acobertar os incêndios “que ele próprio permitiu que acontecesse”.

TEM MALUCO NA FUNARTE

Já o novo presidente da FUNARTE, maestro Dante Mantovani, parece ter ficado com inveja dos disparates de seu colega da Fundação Palmares. Segundo a Folha de São Paulo, ele afirma que o fascismo é de esquerda, diz que fake news é um conceito globalista para impor a vontade da imprensa e chama a Unesco de “máquina de propaganda em favor da pedofilia”. Dentre outros impropérios, afirma que os Beatles surgiram para implantar o comunismo. Segundo ele “o rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto. E a indústria do aborto alimenta uma coisa muito mais pesada, que é o satanismo.”

CORTINA DE FUMAÇA

Ao que parece, o governo Bolsonaro usa das declarações polêmicas sobre cultura e meio ambiente para chocar: além do absurdo em si mesmas, tais maluquices acabam se tornando distrações para o desastre que está em curso nas demais áreas governamentais. Senão vejamos, apenas os acontecimentos da semana:

EDUCAÇÃO

Com o MEC em estado de paralisia (quem diz isso não sou eu, são os gestores municipais, estaduais e federais de Educação, básica e superior – leia-se Undime, Consed e Andifes), os reitores vão à Justiça para que o ministro Weintraub prove falas sobre droga em universidades.

SEGURANÇA

Na Segurança Pública, a grande e única iniciativa do governo para a área continua sendo o tal pacote anti-crimes, cuja principal medida é a introdução de novos critérios de excludente de ilicitude durante ações policiais. As 9 mortes ocorridas na madrugada de domingo (1°), durante um baile funk em Paraisópolis – e os vídeos que demonstram a ação truculenta dos policiais – demonstram o equívoco de tal proposta, de como pensam e agem as forças policiais motivadas pela possibilidade de ampliação das hipóteses de excludente de ilicitude. Se a tese de que “pode atirar na cabecinha” já dominava antes da aprovação do pacote, imagina depois…

SEGURANÇA II

Há, porém, luz no fim do túnel: o pacote foi aprovado na Câmara dos Deputados, na quinta-feira (5), mas, com alterações significativas em relação ao texto original, mantendo o respeito aos direitos e garantias fundamentais do cidadão. Derrota do ministro Sérgio Moro, vitória da população e do constitucionalismo sério e respeitoso.

ECONOMIA

Na Economia, o dólar, atingiu a cotação recorde de R$ 4,27. Para conter os efeitos dessa alta da moeda americana em relação ao real e a consequente ampliação das vendas de carne brasileira a China, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou um aumento nas tarifas de importação do aço e do alumínio brasileiros.

ECONOMIA II

Isso porque, com o real desvalorizado, fica mais barato (e, portanto, mais lucrativo) para os importadores chineses comprar a carne brasileira do que a americana, o que fez com que os ianques experimentassem baixa nas exportações do produto. Ao mesmo tempo, fica mais rentável para os pecuaristas brasileiros exportar sua carne para o exterior do que destiná-la ao mercado interno, pressionando os preços locais para cima: o kg da carne chegou a uma média de R$ 50,00 nas prateleiras dos supermercados e açougues nacionais. Gasolina, gás de cozinha e, agora, frango e carne suína seguem na mesma toada.

ECONOMIA III

De resto, com exceção do IBOVESPA (cuja alta só favorece a quem vive do rentismo oriundo do capital especulativo) todos os indicadores econômicos que tinham previsão otimista, no início do ano, caíram:

PIB 2019 (projeção):
– Janeiro: 2,8%
– Maio: 1,2%
– Dezembro: 0,9%

Balança Comercial (previsão de saldo):
– Janeiro: U$D 57 Bi
– Maio: U$D 50,25 Bi
– Dezembro: U$D 43 Bi (queda de 24,5%)

Conta Corrente (previsão):
– Janeiro: U$D -26 Bi
– Maio: U$D – 25,05 Bi
– Dezembro: U$D -37Bi (piora de 50%)

Produção Industrial (previsão):
– Janeiro: +3,04%
– Maio: +1,47%
– Dezembro: -0,7%

Câmbio em 31/12/2019 (previsão):
– Janeiro: U$D/R$ 3,70
– Maio: U$D/R$ 3,93
– Dezembro: U$D/R$ 4,18

ECONOMIA IV

Até o medíocre crescimento de 0,6% do PIB, em relação ao trimestre anterior, celebrado em verso e prosa pelo governo Bolsonaro, parece padecer de fraude: o jornal inglês Financial Times apontou, na noite da terça-feira (3), falhas nos dados das exportações brasileiras, que podem levar a revisão do PIB.

POLÍTICA

No Congresso Nacional, o destaque da semana ficou por conta da deputada federal Joice Hasselman (PSL-SP) que revelou, no âmbito da CPMI das Fake News que existem quase 2 milhões de robôs nas contas de redes sociais de Jair e Eduardo Bolsonaro, segundo laudos periciais. Uma verdadeira milícia digital, paga com dinheiro público para enxovalhar a honra de adversários políticos com o disparo em massa de mentiras, conforme já vinha assinalando em diversos artigos.

E NO ACRE…

Em terras do Aquiry, o governo do Estado demonstrou que o Poder Legislativo é um mero puxadinho do Palácio Rio Branco. Os debates de quarta-feira (4) na ALEAC acabaram sendo bem acalorados, rescaldo das manobras, atropelos e violações regimentais do Líder do Governo e sua Bancada Governista para aprovar a LOA na terça-feira (3), antes da decisão judicial sobre as impugnações feitas à LDO.

INFRATORES AMBIENTAIS E CONGRESSISTAS

Fora isso, também chamou a atenção a reunião de notórios infratores ambientais com o ministro Ricardo Salles, acompanhados de membros da Bancada Acreana no Congresso Nacional. O resultado? A suspensão das ações de fiscalização ambiental na Resex Chico Mendes. Motivo de muita vergonha para o Acre.

PRA FECHAR COM CHAVE DE OURO

Na sexta-feira (6) tive o desprazer de participar de uma audiência pública sobre questões fundiárias no auditório do SEBRAE/AC. A audiência foi presidida pelo auto intitulado Vice-Ministro do MAPA, Naban Garcia. Fundador da UDR, Garcia esclareceu os efeitos da “MP da Regularização Fundiária”, a ser editada na próxima terça-feira (10). Distribuiu fartas bordoadas aos produtores rurais, que aplaudiam a cada descortesia que ele praticava com quem se atreveu a fazer alguma pergunta ou intervenção oral. Como diria Caetano Veloso, um truculento Naban seguiu como cavalo em desfile de 7 de setembro: trotando, cagando e sendo aplaudido. Insanidade em nível hard.

A ODE À IGNORÂNCIA E A APOLOGIA AO GROTESCO CONTINUAM…

Há um ano atrás eu escrevia que o governo Bolsonaro era de ode à ignorância, de apologia ao grotesco. Fui acusado de estar torcendo para dar errado, advogando a tese do quanto pior melhor. Digo, do fundo do meu coração: torço para que tudo dê certo. Mas, minha torcida não está surtindo efeito. Está dando tudo errado.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

‘Caminho do meio’ para a demarcação de Terras Indígenas

Jade Beatriz

CONAE: Um Marco na Revogação do Novo Ensino Médio

Ediane Maria

O racismo também te dá gatilho?

Bancada Feminista do PSOL

Transição energética justa ou colapso socioambiental: o momento de decidir qual rumo seguir é agora

XEPA

Escutar os saberes ancestrais para evitar a queda do céu, o sumiço do chão e o veneno no prato

Instituto Fome Zero

MST: 40 anos de conquistas e de ideias que alimentam a esperança de um mundo sem Fome

André Menezes

Os sons dos vinis: um papo com Dj Nyack, diretamente da Discopédia

André Menezes

Eu preciso falar sobre o desfile da Portela

William Filho

Minha dica ao novo secretário de Justiça

André Menezes

Tá no sangue: um papo sobre samba com os irmãos Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira

Márcio Santilli

Bancada da Bala vai às urnas com todas as armas