Neste sábado, dia 09 de julho, a partir das 16 horas, na nave da Mídia NINJA em São Paulo, vamos fazer o lançamento de nossa pré-candidatura coletiva de mulheres negras da Bancada Feminista do PSOL. O evento – que ocorrerá na rua José Bento, número 106, no bairro do Cambuci da capital paulista – vai contar com a presença de Guilherme Boulos, Sonia Guajajara e Ivan Valente, além de atrações artísticas, como o Pagode da Dessa e o Samba de Dandara.

Depois de conquistar um mandato coletivo na Câmara Municipal de São Paulo em 2020, a Bancada Feminista do PSOL agora está se expandindo através de uma pré-candidatura à deputada estadual. Dessa vez, nossa coletiva é composta somente por mulheres negras, ativistas de garra e coragem que vão lutar para ocupar a Alesp e, junto com Lula presidente, enfrentar o bolsonarismo e todo tipo de conservadorismo.

Nosso projeto político é pautado pelo feminismo popular, um feminismo da maioria, construído pelas e para as mulheres da classe trabalhadora, aquelas que carregam nas costas o peso da produção e da reprodução social, que são as mais exploradas pelas elites e as mais vulnerabilizadas e invisibilizadas pelas instituições do Estado. É um feminismo baseado no ecossocialismo, na busca por uma sociedade na qual o equilíbrio ecológico e a justiça social se econtrem – um feminismo que visa libertar não só as mulheres, mas toda a humanidade.

Esse feminismo não pode ser representado por uma única pessoa, um único indivíduo, porque nós mulheres somos muitas e diversas. Por isso, nossa pré-candidatura é coletiva, formada por lideranças do movimento negro, do movimento LGBTQIAP+, do movimento sindical, entre outros. A força da Bancada Feminista do PSOL está na junção de uma grande unidade política com uma diversidade de corpos, trajetórias, gerações, experiências e pautas.

Por fim, nossa pré-candidatura coletiva de mulheres negras acredita que a atuação legislativa precisa estar conectada às múltiplas resistências e à organização do nosso povo. Essa é a concepção que a Bancada Feminista do PSOL defende e pratica, uma intervenção parlamentar a serviço das mobilizações populares por liberdade, justiça e direitos.

Conheça nossas pré-cocandidatas da Bancada Feminista do PSOL à deputada estadual:

Paula Nunes, ativista do movimento negro, defensora de direitos humanos, advogada criminalista – especialista em políticas antirracistas de segurança pública – e do movimento de juventude Afronte.

Carolina Iara, ativista do movimento LGBTQIAP+, assistente de políticas públicas da Secretaria Municipal de Saúde, travesti periférica, intersexo, que vive com HIV/aids.

Simone Nascimento, jornalista, integrante da coordenação nacional do Movimento Negro Unificado e fundadora do coletivo Rua-Juventude Anticapitalista.

Mariana Souza, educadora, servidora pública e socióloga, bissexual, ativista ecossocialista e vegana anticapitalista.

Sirlene Maciel, professora do Centro Paula Souza, mestra em Estudos Literários, sindicalista e sambista.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Observatório das Eleições 2022

Por que o problema da desinformação persiste, quatro anos depois da eleição de Bolsonaro

Observatório das Eleições 2022

A fragilidade do nosso apoio à democracia

Márcio Santilli

Bolsonaro poderá renunciar

Fabio Py

O céu se comoveu no domingo

Márcio Santilli

Paz para o Brasil

Juan Espinoza

Defesa dos direitos das mulheres na comunidade pan-amazônica

Observatório das Eleições 2022

Votamos sozinhos, mas fazemos política em grupo: ação coletiva e eleições

FODA

Mulheres negras: potência política em defesa da vida

Márcio Santilli

Bolsonaro confessa ao mundo sua intenção golpista

Moara Saboia

Instituto potencializa e impulsiona jovens lideranças periféricas no Brasil

Rede Justiça Criminal

Você sente segurança com mais prisões e polícia?

Campanha em Defesa do Cerrado

Júri do Tribunal Permanente dos Povos condena estados e empresas por genocídio de povos do Cerrado

Márcio Santilli

Bancada Indígena

Juan Manuel P. Domínguez

Bolsonarismo e satanismo, uma relação estreita

Bancada Feminista do PSOL

Liberdade é não ter medo: um basta à cultura do estupro!