O e-book do 1º Seminário da Luta Feminista e Antirracista nos Espaços de Poder e o documentário “A Câmara“, lançados esta semana em Belo Horizonte, trazem importantes debates sobre a participação feminina na política, violência política de gênero e raça e mandatas femininas e antirracistas – possibilidades e desafios.

Mais mulheres negras estão conquistando mais espaços de poder no Brasil. O assunto foi tema no 1º. Seminário da Luta Feminista e Antirracista nos Espaços de Poder – “Seminário Ocupa – Presença de Mulheres e Diversidade nas Casas Legislativas”, realizado pela Fundação João Pinheiro, em setembro de 2023. A pesquisa e o resultado desse trabalho representam um grande passo para enfrentarmos a invisibilidade e toda a violência política sofrida por nós, mulheres negras.

Participei de uma das mesas redondas: “Monitoramento e Avaliação de Mandatas Feministas e Antirracistas”, juntamente com a representante do Instituto Marielle Franco, Fabiana Pinto, e pela Fundação João Pinheiro, Letícia Godinho. Momento muito especial! Encontrar parcerias que desafiam estruturas colonizadoras é inspirador. Reconhecer e priorizar a mudança interna é fundamental para promover uma sociedade mais justa e igualitária.

“Enfrentar o racismo institucional requer uma resposta abrangente que envolva não apenas indivíduos, mas também instituições e o Estado.”

A desigualdade social no Brasil tem cor. Mulheres negras sofrem maior vulnerabilidade social pela falta de estrutura socioeconômica, oportunidades de estudo, geração de renda e de trabalho. Como deputada estadual e membro da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa de Minas, tenho trabalhado por mais direitos, autonomia e defesa das mulheres negras e periféricas, principalmente aquelas que são chefes de família. Um exemplo é a Lei da Moradia Segura para Mulheres, que destina recursos do Fundo Estadual de Habitação (FEH), visando a construção de moradias seguras para mulheres em situação de violência doméstica ou em casos de calamidade pública.

Aprovamos recentemente a Lei de Enfrentamento à Violência Política Contra Mulheres, cujo desafio é apresentar alternativas para todos os tipos de violências sofridas pelas parlamentares, principalmente, nós, mulheres negras, com lutas progressistas. Também está pronto para ser votado no plenário, o Projeto de Lei (PL) dos Métodos Contraceptivos, que proíbe médicos e operadoras de planos de saúde de exigir o consentimento do cônjuge para procedimentos de inserção dos métodos contraceptivos.

Neste segundo mandato, já destinamos mais de R$3 milhões em emendas parlamentares, que estão beneficiando milhares de mulheres negras e periféricas. Estes recursos financiam projetos nas áreas da saúde, social e geração de trabalho e renda. E, para registrar o árduo trabalho das mulheres negras na política, em 2021, por meio de emenda parlamentar, também apoiei a publicação do livro: “Mulheres, Negras e Gestoras – Porque Sim!”, que reúne 14 histórias potentes de mulheres negras de Minas Gerais, refletindo suas trajetórias e posições de destaque na Administração Pública.

Nós, mulheres negras, seguimos atuantes na ocupação dos espaços de poder na política. Com muita coragem, reafirmamos a nossa história de protagonismo, assumindo o legado de luta daquelas que vieram antes. Acompanhe essa pauta! Veja o e-book do Seminário na minha bio do Instagram – @andreiadejesuus

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Colunista NINJA

Memória, verdade e justiça

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

Através do Equador

XEPA

Cozinhar ou não cozinhar: eis a questão?!

Mônica Francisco

O Caso Marielle Franco caminha para revelar à sociedade a face do Estado Miliciano

Colunista NINJA

A ‘água boa’ da qual Mato Grosso e Brasil dependem

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida

Na defesa da vida e no combate ao veneno, a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos completa 13 anos

Bella Gonçalves

As periferias no centro do orçamento das cidades

Márcio Santilli

Desintegração latino-americana

Márcio Santilli

É hora de ajustar as políticas indígenas

André Menezes

Mais uma vez Vinicius Jr ficou esperando o cartão vermelho para atitudes racistas de torcedores, e ele não veio

Movimento Sem Terra

O Caso Marielle e a contaminação das instituições do RJ