Na lista anterior, citei algumas pessoas negras que estão construindo novas narrativas antirracistas, antilgbfóbicas, antigordóficas e antisexistas, principalmente na região Sudeste. Com exceção das @sapasgordas de Salvador e a Luana Carvalho do Sul do país.

A galera do coletivo Afrobapho me deu o toque de também indicar criadores da região Norte e Nordeste. Assim pude perceber minha falha de não ter indicado pessoas fora da região Sudeste e me questionar por que o meu olhar ficava só por aqui, no sudeste. É importante trazer as vivências de ser negro, não branco, LGBTQi’ e gorde de diversas partes do país. Assim vamos evoluindo em nosso aprendizado e na luta.

Dessa vez fiz uma lista com pessoas negras e não brancas que estão na região Centro-Oeste, Nordeste e Norte do país, construindo novas possibilidades de existência, do audiovisual à produção acadêmica. 

Caso vocês tenham outras sugestões, deixem nos comentários e vamos conhecendo novos trabalhos! Agradeço também ao Clayton Nobre por algumas indicações que não conhecia e agora já virei fã!

1) Afrobapho

Afrobapho é um coletivo formado por jovens negros LGBT da Bahia, onde as artes são ferramentas de mobilização social e questionamento dos padrões raciais-cis-heteronormativos da sociedade. 

2) Joicy Eleiny (Tipo 4)

A jornalista pernambucana Joicy Eleiny, é uma mulher negra, LGBT, ativista do movimento negro e criadora do canal Tipo4 no Youtube. Em seu canal, Joicy fala sobre beleza, moda e empoderamento para mulheres negras.

3) Tatiana Nascimento

Tatiana Nascimento é uma intelectual negra do Distrito Federal, poeta, lésbica, pesquisadora e musicista. Em seu perfil no Instagram, Tatiana faz diversas publicações com reflexões sobre o racismo da branquitude e as vivências de mulheres negras LBT’S.

4) Eita Preta PE (Cris Annie e Cleoo Saraiva)

Cris Annie e Cleoo Saraiva são um casal de mulheres negras LGBT’s pernambucanas. Em seu perfil no Instagram, elas falam sobre suas vivências cotidianas com bastante bom humor.

5) Leona Vingativa

Leona Vingativa, a mulher jamais falada,  a menina jamais igualada e artista de Belém do Pará. Leona viralizou em 2009 em um vídeo que bombou no Youtube e desde então vem produzindo diversos vídeo sobre as suas vivências. 

6) Tequila Underline

Tequila Underline é um gamer de Manaus, sociólogo e doutorando nas horas vagas. Em seu canal na Twitch Tv, ele faz gameplay de diversos jogos e traz reflexões sobre a sociedade. 

7) Ana Flor Fernandes Rodrigues (tdetravesti)

Ana Flor é uma comunicadora e graduanda em Pedagogia na Universidade Federal de Pernambuco.  Em seu instagram, ela fala sobre gênero, sexualidade, educação, políticas e vivências trans. 

8) Thiffany Odara

Thiffany Odara é uma mulher negra, Trans/ Travestis, Pedagoga, Educadora Social, Redutora de danos e feminista. Especialista em gênero, raça e sexualidade.

9) Ana Carolina Fernandes

Ana Carolina Fernandes é Afroempreendedora, graduanda em psicologia, poeta e fundadora do projeto Pretitudes

10) AUÁ MENDES

Pixadora, grafiteira, ilustradora, designer gráfica e performer. Auá Mendes é ativista indígena travesti e realizadora visual no Coletivo TUPINIQUEEEN. Também é artista grafiteira no Coletivo de Grafite AKELACREW, primeiro coletivo de Grafite LGBT do Brasil.

11) UÝRA Sodoma

Biologx, Educadrx e Drag Queen Indígena. A Mídia NINJA, por meio da Casa NINJA Amazônia, recentemente lançou um minidoc sobre Uyra Sodoma, do Amazonas, a drag indígena de Emerson, descendente de indígenas da etnia Munduruku. Confira aqui.

12) Marcela Bonfim (AmazôniaNegra)

Marcela Bonfim é artista e ativista de Porto Velho – Rondônia. Em seu Instagram, ela faz um trabalho de (re)conhecer a Amazônia Negra, povos, costumes e influência negra na floresta.

 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

André Barros

Vetos genocidas do Bolsonaro

Boaventura de Sousa Santos

A universidade pós-pandêmica

Juan Manuel P. Domínguez

“O lugar do artista é na luta”. Diálogos de quarentena com Rael

Renata Souza

Stonewall Inn.: orgulhar-se é transgredir

Cleidiana Ramos

O dia em que meu nariz me definiu como negra - notas sobre o racismo à brasileira

Jandira Feghali

Diga-me o que vetas...

afrolatinas

Contato com meu “Eu”

SOM.VC

RAP BR: Murica canta com sede de dignidade em novo álbum produzido por MK

Márcio Santilli

Sociedade civil se levanta contra Bolsonaro mesmo sob isolamento e penúria

André Barros

Operações racistas nas favelas

Colunista NINJA

O vírus e as trabalhadoras sexuais na Guaicurus, em Belo Horizonte

Juan Manuel P. Domínguez

"O DJ é um dos elementos pilares da cultura Hip Hop". Diálogos de quarentena com DJ Erick Jay

Randolfe Rodrigues

O Brasil que queremos no pós-pandemia

Jussara Basso

A cultura na periferia em tempos sombrios

Juan Manuel P. Domínguez

O demônio branco esteve infiltrado nos protestos pela morte de George Floyd