Por Aline Karina de Araújo Dias

Este texto tem por objetivo, sob a abordagem autobiográfica e analises em fontes bibliografias de intelectuais negras e negros, compreender como o quilombo urbano pode ser uma experiência transformadora na construção da consciência étnico racial brasileira. Para isso, uso o conceito de escrevivências, de Conceição Evaristo. Nessa vivência trago o meu relato de afro-brasileira sobre os apagamentos étnicos raciais cometidos pelos grupos hegemônicos colonizadores, fruto do processo de eugenias decorrentes da colonização europeia. A partir da minha própria experiência, produção de conhecimento e de fontes referenciais de vários intelectuais negros, principalmente o quilombola Antônio Bispo dos Santos, construo e ressignifico a narrativa do quilombo não só enquanto um território para abrigar negros fugidos, mas para fomentar a construção da consciência étnico racial brasileira por meio do conceito de negritudes e etnicidades. E a partir disso compreendemos que o quilombo urbano é uma luta de direito à terra, reconhecimento de nossas ancestralidades diaspóricas e afirmando nossa presença não só em uma perspectiva rural, mas enquanto existência urbana e cosmopolita. Assim, descrevo algumas ações desenvolvidas por mim e demais gestoras da Casa Akotirene, um quilombo urbano localizado na região administrativa Ceilândia Distrito Federal.

Leia o artigo completo O Quilombo urbano como uma experiência transformadora na construção da consciência étnico racial brasileira.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

André Barros

Vetos genocidas do Bolsonaro

Boaventura de Sousa Santos

A universidade pós-pandêmica

Juan Manuel P. Domínguez

“O lugar do artista é na luta”. Diálogos de quarentena com Rael

Renata Souza

Stonewall Inn.: orgulhar-se é transgredir

Cleidiana Ramos

O dia em que meu nariz me definiu como negra - notas sobre o racismo à brasileira

Jandira Feghali

Diga-me o que vetas...

afrolatinas

Contato com meu “Eu”

SOM.VC

RAP BR: Murica canta com sede de dignidade em novo álbum produzido por MK

Márcio Santilli

Sociedade civil se levanta contra Bolsonaro mesmo sob isolamento e penúria

André Barros

Operações racistas nas favelas

Colunista NINJA

O vírus e as trabalhadoras sexuais na Guaicurus, em Belo Horizonte

Juan Manuel P. Domínguez

"O DJ é um dos elementos pilares da cultura Hip Hop". Diálogos de quarentena com DJ Erick Jay

Randolfe Rodrigues

O Brasil que queremos no pós-pandemia

Jussara Basso

A cultura na periferia em tempos sombrios

Juan Manuel P. Domínguez

O demônio branco esteve infiltrado nos protestos pela morte de George Floyd