Por Aline Karina de Araújo Dias

Este texto tem por objetivo, sob a abordagem autobiográfica e analises em fontes bibliografias de intelectuais negras e negros, compreender como o quilombo urbano pode ser uma experiência transformadora na construção da consciência étnico racial brasileira. Para isso, uso o conceito de escrevivências, de Conceição Evaristo. Nessa vivência trago o meu relato de afro-brasileira sobre os apagamentos étnicos raciais cometidos pelos grupos hegemônicos colonizadores, fruto do processo de eugenias decorrentes da colonização europeia. A partir da minha própria experiência, produção de conhecimento e de fontes referenciais de vários intelectuais negros, principalmente o quilombola Antônio Bispo dos Santos, construo e ressignifico a narrativa do quilombo não só enquanto um território para abrigar negros fugidos, mas para fomentar a construção da consciência étnico racial brasileira por meio do conceito de negritudes e etnicidades. E a partir disso compreendemos que o quilombo urbano é uma luta de direito à terra, reconhecimento de nossas ancestralidades diaspóricas e afirmando nossa presença não só em uma perspectiva rural, mas enquanto existência urbana e cosmopolita. Assim, descrevo algumas ações desenvolvidas por mim e demais gestoras da Casa Akotirene, um quilombo urbano localizado na região administrativa Ceilândia Distrito Federal.

Leia o artigo completo O Quilombo urbano como uma experiência transformadora na construção da consciência étnico racial brasileira.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

transpoetas

Intersexualidade é a prova da diversidade humana

Camarada Gringo

O que o Brasil pode esperar de Joe Biden como presidente?

Colunista NINJA

Um ano depois da explosão social no Chile: o caminho para uma nova constituição política

transpoetas

Afinal de que serve um corpo doente, e uma mente exausta? Dane-se, eu quero mesmo é saber com quais armas eles nos matam

afrolatinas

E Eu Com Isso? Acessibilidade Comunicacional

Márcio Santilli

Bolsonaro contra a vacina? Vacina contra Bolsonaro?

vereadoresquequeremos

#Conheça: Andréa Bak – um baque nas estruturas do Rio de Janeiro

Ana Júlia

A militarização da minha escola

William Filho

Por que a esquerda não abraça a pauta da maconha?

vereadoresquequeremos

#Conheça: Verônica Lima – Sempre na luta por uma sociedade mais justa – Niterói (RJ)

História Oral

A inevitável vitória de Guilherme Boulos

Bancada Feminista do PSOL

Quem é Ricardo Nunes, o vice de Bruno Covas?

História Oral

A velha censura de cara nova

Juca Ferreira

Homenagem aos que lutam em toda a América Latina

afrolatinas

Slam Conexões Femininas: uma homenagem à Dina Di, a eterna rainha do rap