Por Moara Ribeiro*

Eu quero viver o amor dos
Nossos corpos diversos
Pra que o tempo nos espie
Enquanto a gente se percebe

Quero que a gente se olhe
e se reconheça
s e m m e d o
Em cada curva que sou
Em cada cicatriz que carrego

Eu quero tudo e um pouco mais!

Quero levar minha existência política pra dançar
Me olhar no espelho e me enxergar
Pra além da solidão que às vezes grita
Pra além do olhar que não pede liçenca

Eu sei
E repito incansavelmente
Não sou brinquedo, objeto
Fetiche e personagem de imaginação
Não sou “merecedora”
Do estupro corretivo
que me faria menos sapatão!
Não peço liçenca!

Hoje e sempre, meu bem
para que a gente não se esqueça
Sussurro ao pé do seu ouvido

Cada cicatriz sua, eu beijei
Beijaria de novo.

*Moara Ribeiro é cantora, compositora, especialista em comunicação digital.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Juan Espinoza

Você sabe se Lula já é presidente?

Colunista NINJA

De mais uma COP de ‘blá blá blá’ para um acordo global pela infância

Juan Manuel P. Domínguez

O sinistro do golpismo

Juca Ferreira

Vencer ou vencer!

Observatório das Eleições 2022

Em SP, Lula amplia votação do PT em todas as cidades. Bolsonaro perde votos em 3 a cada 4 municípios

Márcio Santilli

Intervenção extraterrestre

Márcio Santilli

A arca do Lula

Juan Manuel P. Domínguez

Haiti, a revolução da consciência negra

Márcio Santilli

Valdemar manobra para segurar Bolsonaro

Jorgetânia Ferreira

Mataram João do Teatro em Araguari, Minas Gerais

Rede Justiça Criminal

Como o bolsonarismo resiste no Congresso e a mobilização da sociedade civil também

Colunista NINJA

80 anos de Paulinho da Viola e seu feitiço maduro

Observatório das Eleições 2022

Um Ministério dos Povos Originários: algumas reflexões sobre a proposta de Lula

Observatório das Eleições 2022

Eleitores do exterior dão a Lula sete pontos de vantagem sobre Bolsonaro, mas são esquecidos pelos analistas