“Precisa ter uma atenção ao jovem, hoje em dia o que se discute na Câmara não são políticas públicas para a juventude, eu acho que as coisas são importantes, mas as pessoas são muito mais importantes do que isso, eu acho que a gente precisa colocar políticas para as pessoas, precisa ter planos para a juventude, planos para o idoso, plano para as mulheres, para os negros, precisa ter planos para as pessoas.” – Lucas Branco é formado em engenharia elétrica, faz parte do Conselho Estadual de Juventude em Pernambuco, é formado no Renova Brasil e representante da Bancada Jovem, um projeto coletivo que disputa uma vaga na Câmara de Vereadores do Cabo de Santo Agostinho.

Além de Lucas, a Bancada Jovem é formada por Nemyas Araújo e Giulia Perruci, e tem como objetivo apresentar uma plataforma política plural para dar voz aos LGBTs, as mulheres, negros e negras e à toda a juventude da cidade. “Hoje o Cabo é a cidade do estado de Pernambuco onde se mais mata jovem e segundo a ONU uma das cidades mais violentas para um jovem negro viver.” diz Lucas para fundamentar a importância do desenvolvimento de projetos que apliquem uma atenção para a juventude da cidade, seja com um Conselho Municipal de Juventude ou com políticas públicas efetivas para fortalecer a educação, o esporte, a cultura e a geração de renda no municipio.

“A única forma de a gente conseguir mudar é a gente estando nos espaços de poder, a gente tem que estar lá para propor, para colocar esses projetos em votação, aqui fora a gente briga, a gente grita, a gente faz muito barulho, você ganha mais força por ser mais coletivo, a gente pode realmente mudar a vida das pessoas e mudar de verdade, mudar pra valer” – Lucas Branco

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Bancada Jovem (@bancadajovem) em


A Bancada Jovem entende que garantir a representatividade dos jovens nos espaços de poder é garantir um protagonismo necessário para quem vive numa cidade que não oferece perspectiva para o futuro. É construir, com participação e transparência, um mandato acessível, de luta, que defenda o futuro e que construa um presente para todos.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

Dríade Aguiar

Se matarem meu pai no mercado

transpoetas

Mês da Consciência Transnegra

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Fabio Py

Derrotar Crivella para destronar o falso messias

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil