“As pessoas por uma série de razões tem cada vez mais deixado de participar da vida pública e da política, então eu acho que o primeiro passo é garantir e estimular essa participação popular e, a partir disso, poder formular políticas públicas e aprovar uma legislação que contribua para mudar a vida das pessoas.” – Djalma Nery é professor da rede pública estadual de ensino, possui graduação em Ciências Sociais, tem experiência na área de educação, com ênfase em educação popular e ambiental, é mestre em ciências pelo Programa de Pós Graduação Interunidades em Ecologia Aplicada e está candidato à vereador em São Carlos.

Idealizador da Associação Veracidade, entidade ambientalista formada no ano de 2012, com o objetivo de transformar a realidade urbana a partir da permacultura, agroecologia, educação ambiental crítica e economia solidária, apontando para a construção de sociedades sustentáveis através de ações que promovem o acesso às necessidades materiais básicas à vida humana, Nery entende a importância do desenvolvimento de políticas públicas que tratem desse tema: “A questão dos resíduos, São Carlos gera 200 toneladas de resíduos por dia e 100 delas são orgânicas e poderiam ir para compostagem ao invés de aterro sanitário, economizando recursos.” Sublinha o candidato mostrando que é possível pensar a cidade de maneira diferente..

“Venho me dedicando a pensar políticas públicas nos últimos 10 anos e eu sei que eu posso colaborar como uma das pessoas que vão contribuir para esse processo de transformação da realidade.” 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Djalma Nery (@djalmaneryneto) em


Além de Djalma Nery, a chapa é composta por Evandro Paschoalino que está mestrando em linguística, é assessor de comunicação e professor de redação. Gabriela Garcia é cozinheira autônoma, organizadora de feiras e oficineira. Edneide Brasil é graduada em ciências biológicas e mestra em ciências de alimentos. Helen Catarina é estudante de filosofia, militante dos movimentos negros e feministas. Caio Henrique é professor de história da rede municipal, passou por cargos na Secretaria Municipal de educação, é mestre em educação e professor eventual da rede estadual. Wesley Nascimento está graduando em tradução e interpretação de Libras/Português. Adilson Marques trabalhou como animador cultural no SESC, com educação de idosos, é autor de 53 livros, atua em vários coletivos na cidade, entre eles, o Coletivo Librum. Dante Cieto é sociólogo, pedagogo, trabalhou em cooperativas de ensino como coordenador pedagógico na ultima década e em 2020 iniciou um projeto com a criação de uma empresa de produção e comercialização de alimentos naturais. Ludmila Tozetti é negra, lésbica, estudou ecologia, trabalhou com educação ambiental e restauração da caatinga, atualmente cursa graduação em gestão e analise ambiental e está a frente de uma ONG chamada Cidade Aracy. Lidia Moura é gestora e analista ambiental, mestra em ciências e doutorando em ciências com enfoque em controle de Aedes Egypyti, foi professora do cursinho comunitário AFSCar e atuou em diversos projetos de divulgação científica.

 

A proposta da chapa, além de fazer uma defesa plural e responsável do meio ambiente, é também pensar mecanismo para a geração de renda e de redução do impacto ambiental gerado pelo “progresso”, sem pensar na sustentabilidade, no município. A construção de uma chapa coletiva, que discuta de maneira ampla e descentralizada propostas e projetos para uma cidade inclusiva e sustentável é um ponto estrutural para enfrentar os interesses daqueles que querem concentrar a riqueza para poucos. O projeto coletivo, além de fomentar  um modelo participativo na política, faz com que candidaturas ganhem mais força, mais representatividade e mais capacidade de interferência nos projetos e políticas públicas da cidade.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

Dríade Aguiar

Se matarem meu pai no mercado

transpoetas

Mês da Consciência Transnegra

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Fabio Py

Derrotar Crivella para destronar o falso messias

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil