.

O Governo Temer não para de nos dar provas de seu menosprezo pelas culturas indígenas. O episódio da vez é no dia do índio e às vésperas do Acampamento Terra Livre – ATL, o maior encontro indígena do Brasil, a Fundação Nacional Indígena (FUNAI) teve seu então presidente pressionado – o que o levou ao pedido de demissão ontem – por quem o havia indicado: a bancada ruralista. Detalhe: a FUNAI é o mais importante órgão indigenista do país, criado para proteger e promover os direitos dos povos indígenas no Brasil e hoje se transformou em um quintal dos interesses ruralistas.

Esse é o terceiro presidente em apenas 2 anos de gestão. Cabe lembrar que o primeiro nomeado, o ex-presidente Antônio Fernandes Toninho Costa, indicado e depois demitido por esse grupo parlamentar no começo da gestão, em sua saída, denunciou que o tiraram por “não fazer malfeitos”.

A FUNAI está vivendo um processo de desmonte. Loteada pelos diferentes grupos políticos ligados às bancadas ruralistas e evangélica e esvaziada de suas funções institucionais, vem experimentando uma redução drástica do orçamento e do quadro de servidores. Além disso, vivemos uma paralisação das demarcações das terras indígenas por meio de iniciativas legislativas ou medidas administrativas do procedimento de demarcação, permitindo a crescente criminalização de lideranças indígenas.

Os povos indígenas já viveram muitos capítulos genocidas em sua história, e com muita luta se mantiveram sempre na resistência contra todas as tentativas de ataques. Desde a ditadura militar, não havíamos experimentado um período tão duro e hostil. Por isso denunciamos e seguimos em luta por nossos territórios, nossa cultura e nossa existência.

#DireitosIndígenas #VamosComBoulosESOnia

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Colunista NINJA

Memória, verdade e justiça

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

Através do Equador

XEPA

Cozinhar ou não cozinhar: eis a questão?!

Mônica Francisco

O Caso Marielle Franco caminha para revelar à sociedade a face do Estado Miliciano

Colunista NINJA

A ‘água boa’ da qual Mato Grosso e Brasil dependem

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida

Na defesa da vida e no combate ao veneno, a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos completa 13 anos

Bella Gonçalves

As periferias no centro do orçamento das cidades

Márcio Santilli

Desintegração latino-americana

Márcio Santilli

É hora de ajustar as políticas indígenas

André Menezes

Mais uma vez Vinicius Jr ficou esperando o cartão vermelho para atitudes racistas de torcedores, e ele não veio

Movimento Sem Terra

O Caso Marielle e a contaminação das instituições do RJ