Foto: @alinef.producoes

Por Noé Pires

Impulsionadas pelo lema ‘Elas querem é poder’, a banda Gatunas (@gatunasoficial), surgiu em 2017 nas noites de João Pessoa (PB) como uma força autoral independente liderada por mulheres. Com uma sonoridade que passeia por diversos ritmos, como o rock, o pop, o brega e o carimbó, a banda estabeleceu-se na cena musical paraibana com sua representatividade feminina e LGBTQIAP+, conquistando parcerias significativas com a Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH-PB) e movimentos sociais locais.

Após o sucesso do EP de estreia ‘Gata de Rua’ (2020), vencedor do Prêmio Dynamite de Música Independente, a banda lançou seu novo disco ‘Meu corpo, minhas regras’ (2022), consolidando ainda mais sua mensagem de empoderamento feminino. Com um som que abraça influências regionais e letras impactantes, o álbum reflete não apenas as incertezas geradas pela pandemia de COVID-19, mas também as questões políticas e sociais que afetam as mulheres e minorias.

O lançamento do álbum ocorreu em abril de 2022, seguido por um show no Espaço Cultural José Lins do Rêgo em João Pessoa(PB) como parte do evento ‘Paraíba pela dignidade menstrual’, promovido pela SEMDH em apoio à Fundação Espaço Cultural (FUNESC).

Com Ruanna Gonçalves (guitarra e vocais), Morgana Morais (baixo e vocais), Marcondes Orange (bateria) e Adrielly Oliveira (teclado e sintetizadores), as Gatunas têm se destacado nacionalmente com sua resistência política e empoderamento feminino. Seu single ‘Ode ao Bozo’ (2019) já acumula milhares de plays no YouTube e Spotify.

A banda circulou em 2022 por diversas cidades para apresentar seu novo trabalho, proporcionando ao público uma experiência única que vai além da música. Em seus shows, as Gatunas compartilham suas vivências como mulheres e artistas, assumindo com protagonismo o palco para expressar suas dores, amores, lutas e conquistas.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Colunista NINJA

Memória, verdade e justiça

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

Através do Equador

XEPA

Cozinhar ou não cozinhar: eis a questão?!

Mônica Francisco

O Caso Marielle Franco caminha para revelar à sociedade a face do Estado Miliciano

Colunista NINJA

A ‘água boa’ da qual Mato Grosso e Brasil dependem

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida

Na defesa da vida e no combate ao veneno, a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos completa 13 anos

Bella Gonçalves

As periferias no centro do orçamento das cidades

Márcio Santilli

Desintegração latino-americana

Márcio Santilli

É hora de ajustar as políticas indígenas

André Menezes

Mais uma vez Vinicius Jr ficou esperando o cartão vermelho para atitudes racistas de torcedores, e ele não veio

Movimento Sem Terra

O Caso Marielle e a contaminação das instituições do RJ