Imagem: Renata Frade

Normalmente quando pensamos em tecnologia, imediatamente associamos à alguma plataforma e dispositivo digital, um software. Para educar e entreter pessoas de todas as idades sobre conteúdos relacionados a mulheres nas Ciências (e também TI), uma empresa norte-americana de comunicação científica chamada Massive Science criou algo disruptivo: o Women of Science Tarot. Lançado pela The MIT Press, trata-se de uma tecnologia impressa inspirada no Tarô de Marselha, cujas origens remontam em torno do século XV, para ensinar a História por trás de algumas das mais importantes mulheres em tecnologia.

Apesar de me dedicar ao doutorado sobre mulheres em tecnologia, este tarô caiu em minhas mãos de maneira inusitada: eu me tornei taróloga e estava em busca na web de novos decks. Foi coisa do destino juntar conhecimentos que parecem tão distantes em um mesmo mundo! O Women of Science Tarot é amigável para aqueles que nunca utilizaram um tarô.

Criado para ser jogado por pessoas de qualquer sexo, a partir dos dez anos, o Women of Science Tarot segue a lógica do mais tradicional deck de tarô, o de Marselha, ilustrado por Matteo Farinella, também um dos autores: há 22 Arcanos Maiores com mesma simbologia do tradicional e 56 Arcanos Menores. Cada Arcano Menor representa uma mulher na ciência e em tecnologia e cada carta contém o nome da homenageada e o ramo científico relacionado. Há um livreto com instruções de como jogar, além dos significados dos Arcanos Maiores e biografias de cada cientista. Para falar sobre o conceito e receptividade do lançamento do produto, entrevistei Allan Lasser, cofundador da Massive Science.

Como surgiu a ideia de desenvolver um tarô com personalidades femininas em ciência e tecnologia? Por que gamificar esse conhecimento do tarô e não de outro instrumento lúdico de aprendizado e entretenimento?

Este projeto começou a partir de uma série no massivesci.com, Science Heroes, onde publicamos biografias de figuras ocultas na história da Ciência. Encomendamos retratos ao nosso amigo e ilustrador Matteo Farinella, já que em muitos casos não havia retratos bons e utilizáveis ​​desses cientistas!

Depois de publicarmos cerca de 30 dessas biografias, queríamos combiná-las de alguma forma. Como a Massive Science tem a missão de tornar a narrativa científica mais acessível, pensamos que um baralho de tarô era um ótimo formato para capacitar os jogadores a contar suas próprias histórias sobre esses cientistas.

Allan Lasser, cofundador da Massive Science.

A inspiração para o produto foi o tarô de Marselha, um dos mais clássicos tarôs da História, visto que inicialmente não tinha uma conotação espiritual e divinatória, era usado apenas como entretenimento?

Sim, exatamente. O Tarot teve uma longa história como ferramenta de contar histórias antes de ser adotado para adivinhação. Acreditamos que, ao adotar esse formato, estamos ajudando a fornecer uma educação sobre a longa história do tarô.

Qual é o sistema de jogo do Women of Science Tarot? Qualquer um pode jogar? A partir de que idade? Você também recomenda para homens e meninos?

O sistema de jogo é bastante livre e fornecemos duas técnicas cronometradas para a leitura dos cartões em nosso guia. Contudo, vimos pessoas adotarem as cartas como um baralho normal, como uma ferramenta de memorização, aprendizagem e muito mais. O jogo é adequado para todas as idades e sexos, já que a ciência é para todos!

Na minha pesquisa de doutorado sobre mulheres em tecnologia, percebo o quão fundamentais são os role models na promoção da inclusão nesse segmento ainda tão dominado pelo patriarcado. Se não contarmos histórias e deixarmos registros para que continuem a ser contados de mulheres que criaram invenções que marcaram profundamente a humanidade, não mudaremos o presente e o futuro. Qual foi o critério de seleção dessa curadoria na escolha dos 78 modelos que compõem o tarô? Há quanto tempo você se dedica ao desenvolvimento do conteúdo? Você fez sozinho ou com equipe multidisciplinar?

Publicamos a série biográfica por cerca de um ano antes de começar a desenvolver o baralho de tarô. Trabalhamos com a comunidade de cientistas e pesquisadores da Massive Science para pesquisar e escrever o guia de acompanhamento (todos os nossos colaboradores são creditados na matéria inicial), que incluía biografias sobre cada cientista que selecionamos.

Imagem: divulgação

No livro Hidden Figures, Margot Lee Shetterlydisse disse: “Ainda mais do que o número surpreendentemente grande de mulheres negras e brancas que se escondiam em uma profissão considerada universalmente branca e masculina, o conjunto de trabalhos que elas deixaram para trás foi uma revelação”. Você se dedicou a este trabalho porque já é uma pesquisador ligado à mulher em tecnologia, ou foi um desafio que o surpreendeu pela quantidade de personalidades ligadas à temática e pela importância do seu trabalho?

Começamos a Massive Science para melhorar a forma como falamos e pensamos sobre ciência. Muitos americanos não sabem o nome de um cientista e, quando podem, esse cientista é quase sempre um homem. Decidimos contar mais histórias sobre as mulheres incríveis que sabíamos que estavam mal encobertas. Mas nossos leitores e nossa comunidade sugeriram muitas outras figuras com histórias de fundo incríveis. Tem sido um esforço comunitário para garantir que essas mulheres recebam o crédito que lhes é devido.

Você pretende fazer uma nova versão do tarô com mais modelos no STEM? Existe algum desafio seu que envolva esse assunto no momento ou em um futuro próximo?

Não temos planos imediatos para uma nova edição expandida, mas certamente estamos abertos a essa ideia no futuro! No momento, estamos focados em outros projetos, como ajudar no lançamento de The Curie Society, uma nova história em quadrinhos que será lançada em abril. The Curie Society é uma história fictícia sobre uma sociedade secreta de mulheres na ciência, usando ciência e tecnologia de ponta para salvar o mundo!

Como comprar Women of Science Tarot fora dos EUA, por exemplo, no Brasil?

O Women of Science Tarot está disponível para compra em todas as principais livrarias, incluindo Amazon.com.br. Embora possa ser difícil de encontrar nas lojas do Brasil, você certamente pode obtê-lo online!

Imagem de Pamela Colman Smith / Divulgação

CURIOSIDADE: Pamela Colman Smith

Pamela Colman Smith é mundialmente conhecida por ser a responsável pelo design de todas as cartas do Rider-Waite Tarot, um dos mais tradicionais utilizados por tarólogos. Nascida no Reino Unido em 1878, morou alguns anos na Jamaica, atuou no teatro como figurinista e atriz, inovadora como editora de uma revista chamada The Green Sheaf. Foi contemporânea e conhecida por pessoas como o escritor Bram Stoker, o ator Henry Irving e o  poeta W.B. Yeats. Foi perseguida pelo seu tom de pele e orientação sexual, especula-se ter sido lésbica.

Sua importância histórica reside também no fato de ter sido uma das primeiras sufragistas, na virada do século XIX ao XX.

Mais informações sobre a artista podem ser obtidas na recente biografia Pamela Colman Smith: The Untold Story, de Stuart R. Kaplan, Mary K. Greer, Elizabeth Foley O’Connor e Melinda Boyd Parsons.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Mariane Santana

A volta do ABBA e o futuro (presente) dos shows

Agatha Íris

Quem defende as crianças que são vítimas de abuso e estupro de vulnerável?

NINJA Esporte Clube

Pretos na Biblioteca: projeto idealizado por Gabizona do vôlei busca combater o racismo através da educação

NINJA Esporte Clube

A’ja Wilson: uma voz potente e necessária

NINJA Esporte Clube

Ginasta Luis Porto foca na preparação para próximas competições, após corte inesperado do Mundial 2021

Flávio Renegado

Vinte e Três Minutos… 

Márcio Santilli

Direita rachada

Talles Lopes

Morro do Fogo: fé e luta quilombola

Bancada Feminista do PSOL

Sampaprev 2: um ataque a quem esteve na linha de frente contra a Covid

Lais Gomes

Me deixa reclamar!

Andréia de Jesus

Indígenas latinos são transformados sistematicamente em imigrantes por mais de 500 anos!

Laryssa Sampaio

O Peso do Pássaro Morto: perdas, reencontros, encontros e fim

Andréia de Jesus

Zema expressa todo seu preconceito social

Laryssa Sampaio

Pelo direito de pensar e decidir se queremos ou não ser mães

Márcio Santilli

Nem autogolpe e nem impeachment