Outro dia eu conversava com Ângela Mendes e ela contou que em um de seus momentos íntimos com a mata, escutou a voz de uma castanheira, que entre outras palavras, repetia uma só palavra: empate, empate, empate, empate.

Em muitas de suas andanças, Ângela tem professado que diferente dos tempos de Chico, os empates de hoje vêm sendo feitos através da comunicação, da arma poderosa do midiativismo de muitas mãos.

Ontem assistindo “O Território”, documentário incrível e premiado sobre o qual escreverei em outra publicação, lembrei-me das palavras de Ângela, que muito se assemelha as leituras que Bitate Uru Eu Wau traz no filme.

Em sobrevoo que fiz outro dia e já mostrei aqui, mais de 2 mil hectares estavam prontos para o golpe final da matança. Leras e mais leras (fileiras de madeiras desmatadas) prontas para a queimada. Mais de 2 mil hectares desmatados de uma só vez em apenas uma das áreas. Chocante. Triste. Desesperador.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Marielle Ramires (@marielleramires)

Há rumores de que um outro dia do fogo estava sendo planejado naquilo que pode vir a ser uma xepa de fins de um tempo. Se é fato, ainda não sabemos. Mas a devastação está avançada. Mais de 500 km queimam do Cerrado à Amazônia. Há um ecocídio em curso no Brasil sob os olhos de um Estado inerte e sequestrado. Que vê, mas está amordaçado.

Alguém há de pagar por esses crimes. A começar por Bolsonaro.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Eduardo Sá

“Lula transmite um amor maior”, afirma Filipe Ret

Observatório das Eleições 2022

Bolsonaro e o uso enganoso dos dados sobre entrega de títulos de propriedade

Observatório das Eleições 2022

Eleições 2022: candidatura feminina é igual em qualquer lugar?

Estudantes NINJA

Paulo Freire e o encontro com bell hooks: Um diálogo transformador de celebração do amor e da liberdade crítica

Tatiana Barros

Artistas digitais criam NFTs criticando atos antidemocráticos

Andressa Pellanda

Manual para votar em candidaturas que defendem (de verdade) a educação

Observatório das Eleições 2022

Titular e pacificar em nome do desenvolvimento: Bolsonaro e conflitos no campo

Observatório das Eleições 2022

Por que o Auxílio Brasil turbinado não ajudou Bolsonaro entre os mais pobres?

Renata Frade

Lançamentos em Tecnologia por incríveis autoras brasileiras

Márcio Santilli

Estertores do bolsonarismo

Colunista NINJA

O voto é secreto e necessário: o voto liberta

Observatório das Eleições 2022

Youtube e o seu sistema de recomendação de conteúdos na eleições de 2022 no Brasil

Márcio Santilli

Vantagem de Lula alavanca candidaturas nos estados

Observatório das Eleições 2022

Gamers: um público em disputa pelas principais campanhas à Presidência em 2022

Bancada Feminista do PSOL

As 5 principais ideias da Bancada Feminista