Foto: arquivo pessoal

Por Deives Picaz

Um fator bem importante para iniciar um discurso sobre o crime de lgbtfobia mais conhecido como homofobia é que precisamos entender que o nosso estado é Laico.

Preservar a laicidade de um Estado é reconhecer que ele é separado de qualquer religião, independente de sua base estrutural e quantidade de indivíduos que a frequentam.

O Estado não permite a interferência de correntes religiosas em assuntos estatais, nem privilegia uma ou algumas religiões sobre as demais. (Isso é o que temos em lei registrada).

Ou seja, usar sua religião, fé, crença… para promover discurso de ódio contra as pessoas pertencentes à comunidade lgbtqia+ (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros e travestis etc) continua sendo crime.

A ideia de como o outro vive não se encaixar naquilo que você vê como um princípio no seu cotidiano não te dá o direito de intervir.

A cada 26 horas um jovem morre no brasil por ser gay, a comunidade LGBTQIA+ está interessada somente em lutar para que esses dados diminuam até que não existam mais.

A ciência já comprova que a homossexualidade não é uma escolha, muito menos uma doença, e como não há cura para aquilo que não é doença, iremos continuar com a vida que temos!

A luta pelos direitos LGBT’S é somente para que possamos viver, e ter uma vida digna assim como qualquer outra pessoa.

Parem de nos matar! A lgbtfobia não começa pela morte, começa pelo seu discurso que incentiva o agravamento dos ataques e nos levam a morte!

O estado é laico, sua religião serve para você e temos o direito de existir!

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Andressa Pellanda

Da receita estragada de Bolsonaro ao banquete saboroso da educação libertadora

Observatório das Eleições 2022

Por que o problema da desinformação persiste, quatro anos depois da eleição de Bolsonaro

Observatório das Eleições 2022

A fragilidade do nosso apoio à democracia

Márcio Santilli

Bolsonaro poderá renunciar

Fabio Py

O céu se comoveu no domingo

Márcio Santilli

As presidenciáveis

Juan Espinoza

Defesa dos direitos das mulheres na comunidade pan-amazônica

Observatório das Eleições 2022

Votamos sozinhos, mas fazemos política em grupo: ação coletiva e eleições

FODA

Mulheres negras: potência política em defesa da vida

Márcio Santilli

Bolsonaro confessa ao mundo sua intenção golpista

Observatório das Eleições 2022

A eleição presidencial de 2022 vista pela clivagem regional: continuidade ou mudança?

Rede Justiça Criminal

Você sente segurança com mais prisões e polícia?

Campanha em Defesa do Cerrado

Júri do Tribunal Permanente dos Povos condena estados e empresas por genocídio de povos do Cerrado

Márcio Santilli

Bancada Indígena

Juan Manuel P. Domínguez

Bolsonarismo e satanismo, uma relação estreita