Arte: Mídia NINJA

Sabe de uma coisa?

Quando a gente pensa no que está acontecendo no país: o governo é espúrio; as reformas são ofensivas a qualquer noção de dignidade; a impunidade dos delatados, que estão no poder, não importa quanta prova haja, é o fato político e a política de fato; a matança generalizada na periferia, no campo, e entre os povos originais é acobertada pelo Estado, quando não é este que a executa; o aumento do poder discricionário do Judiciário que, agora, dispensa a necessidade da materialidade do crime para condenar alguém como criminoso… A gente começa se dar conta de que a gente não conta.

Um representante das forças armadas disse que tudo deve se acertar nas eleições. Bom saber que as forças armadas reconhecem que este é um problema civil, e é bom saber que alguém do poder quer eleições.

Pergunto: As forças populares, depois dos desfechos judiciais sustentados pela ignorância dos fatos e dos conceitos, já por duas vezes, terão candidato para o cargo majoritário, para essas eleições?

Continuo dizendo que o impeachment tem que ser anulado, para que as eleições sejam consequência do processo democrático e não um favor dos golpistas, seja por pressão ou por qualquer manobra; até porque, assim que terminar seu “mandato” o atual presidente passará a condição de inelegível, pois perdeu os direitos eleitorais em ação anterior, quando ainda era vice-presidente; e, mais, correrá o risco de ter que responder a tudo do que é acusado… Difícil pensar que ele não esteja buscando uma saída.

Se não houver anulação do impeachment, e se não houver saída para esse imbróglio causado pelo Judiciário, a ex-presidenta Dilma Rousseff é a minha candidata: ela pode por lei. Ela, que, certamente, aprendeu muito, seria a candidata para redimir o país. Além do que eu adoraria vê-la enquadrando os candidatos da elite como meros golpistas, que é o que são.

 

 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

Dríade Aguiar

Se matarem meu pai no mercado

transpoetas

Mês da Consciência Transnegra

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Fabio Py

Derrotar Crivella para destronar o falso messias

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil