.

No dia 31 de agosto, às 19h, a Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito promoverá no Instituto de Filosofia e Ciências sociais da UFRJ, o debate “O direito nosso de cada dia”, com a presença da Dra. Regina Novaes e do Dr. Alexandre Brasil. Vamos conversar sobre a reação ao descalabro que estamos assistindo.

Tráfico de drogas; compra de votos; exploração ilegal de nióbio; desvio de recursos do porto de Santos/SP, da Petrobras, de Furnas; extorsão; tráfico de influências; assassinato…

Essas são algumas das acusações que pairam sobre os que governam o país.

Ser pequena por parte destas acusações se confirmarem, temos um cartel do crime no comando do Brasil.

Como podem pastores irem a tais pessoas para saudá-las e abençoá-las?

Se não fossem pelas acusações, que inexplicavelmente a toga não investiga, bastava o fato de terem derrubado os direitos dos trabalhadores, seja pela terceirização ilimitada, seja pela reforma trabalhista; ou por terem cancelado investimentos sociais por 20 anos; ou por terem acabado com programas como a Farmácia Popular.

E foram pastores de todo tipo: pentecostais, neopentecostais e históricos. Inclusive foram também os deterministas, que creem num deus menor, logo em um outro deus, que não é onisciente, é só soberano.

Interessante é que os deterministas são os que estão tentando acabar com pentecostalismo, pelo ensino de sua teologia, que não crê nos carismas.

E todos se encontraram, de alguma forma, em Brasília.

Entre esses estão os líderes espirituais que suportam, politicamente, a maior parte da bancada evangélica, e que estão criando o fenômeno dos que vivem, economicamente, na miséria e, mesmo assim, apoiam a direita e o golpe. Os tais líderes lhes ensinam a antibíblica subserviência ao poder, ainda que corrupto, e deles cobram os dízimos e as ofertas, enquanto apoiam a política de desemprego, de redução de salários e de perda de direitos, sem contar a dilapidação do patrimônio nacional, e viajam em seus jatos, seus carros esportivos importados, seus iates e suas motos suntuosas.

Como explicar isso? Parafraseando um ditado francês, talvez seja apenas por que os canalhas sempre acabam se encontrando.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Jorgetânia Ferreira

São Paulo merece Erundina

Bancada Feminista do PSOL

Do #EleNão ao Boulos e Erundina sim!

Fabio Py

Dez motivos para não votar no Crivella: às urnas de luvas!

Dríade Aguiar

Se matarem meu pai no mercado

transpoetas

Mês da Consciência Transnegra

Márcio Santilli

Bolsonaro-Frankenstein: cara de pau, coração de pedra e cabeça-de-bagre

Cleidiana Ramos

O furacão de tristezas que chegou neste 20 de novembro insiste em ficar

Tatiana Barros

Como nasce um hub de inovação que empodera pessoas negras

História Oral

Quando tudo for privatizado, o povo será privado de tudo e o Amapá é prova disso

Fabio Py

Derrotar Crivella para destronar o falso messias

Colunista NINJA

LGBTI+ de direita: precisamos de representatividade acrítica?

Juan Manuel P. Domínguez

São Paulo poderia ser uma Stalingrado eleitoral

Colunista NINJA

A histórica eleição de uma bancada negra em Porto Alegre

Bancada Feminista do PSOL

Três motivos para votar na Bancada Feminista do PSOL

Carina Vitral da Bancada Feminista

Trump derrotado nos Estados Unidos, agora é derrotar o bolsonarismo na eleição de domingo no Brasil