Atleta carioca busca uma medalha inédita para o esporte brasileiro nas quadras japonesas

Foto: Comitê Olímpico do Brasil

Por Carolina Rocha para a Cobertura Colaborativa da NINJA Esporte Clube

Era um sonho de criança que virou realidade. Ygor Coelho de Oliveira, atleta do badminton, é o primeiro brasileiro a conseguir uma vitória em Olimpíadas na modalidade. A vitória veio na última segunda-feira (26) no jogo em que derrotou Georges Julien Paul, atleta das Ilhas Maurício, por 2 a 0 em seu jogo de estreia em Tóquio.

“É histórico para o país. Eu estou muito feliz, mas eu ainda quero mais. Agradeço também a todas as pessoas que estiveram comigo nessa caminhada. Obrigado por terem apostado em mim. Se eu estou aqui hoje é graças a essa aposta”, disse o atleta de 24 anos.

Nascido e criado na comunidade da Chacrinha, localizada na zona oeste do Rio de Janeiro, Ygor começou no esporte com 3 anos de idade, graças a influência e apoio de seu pai, Sebastião Oliveira, que criou a Associação Miratus de Badminton, um projeto social para a prática do esporte na comunidade.

Foto: Comitê Olímpico do Brasil

Desde então, tanto o projeto quanto Ygor tem rendido bons frutos ao esporte no Brasil.

A associação recebeu o Prêmio Brasil Olímpico em 2011 e já conquistou 24 títulos Pan-Americanos e 75 medalhas nesta competição até hoje.

Já Coelho é hexacampeão Pan-Americano júnior, campeão Pan-Americano em 2017 e 2018, campeão dos Jogos Sul-Americanos também em 2018 e campeão dos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019.

Em 2016, ele foi o primeiro atleta brasileiro a representar o país na modalidade nas Olimpíadas, aos 19 anos. Atualmente, ocupa a posição 49 do ranking mundial da Federação Mundial de Badminton (BWF). Ygor Coelho se tornou referência no badminton brasileiro, e agora busca mais um dos seus objetivos: ser medalhista olímpico na modalidade.

Ygor volta a competir pelo Brasil no próximo dia 28, quando enfrenta o japonês Kanta Tsuneyama por uma vaga nas oitavas de final.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Colunista NINJA

Memória, verdade e justiça

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Andréia de Jesus

PEC das drogas aprofunda racismo e violência contra juventude negra

Márcio Santilli

Através do Equador

XEPA

Cozinhar ou não cozinhar: eis a questão?!

Mônica Francisco

O Caso Marielle Franco caminha para revelar à sociedade a face do Estado Miliciano

Colunista NINJA

A ‘água boa’ da qual Mato Grosso e Brasil dependem

Márcio Santilli

Mineradora estrangeira força a barra com o povo indígena Mura

Jade Beatriz

Combater o Cyberbullyng: esforços coletivos

Casa NINJA Amazônia

O Fogo e a Raiz: Mulheres indígenas na linha de frente do resgate das culturas ancestrais

Rede Justiça Criminal

O impacto da nova Lei das saidinhas na vida das mulheres, famílias e comunidades

Movimento Sem Terra

Jornada de Lutas em Defesa da Reforma Agrária do MST levanta coro: “Ocupar, para o Brasil Alimentar!”