E tem mais medalha chegando ao Brasil diretamente de Tóquio. Rebeca Andrade e Bruno Fratus conquistaram ouro e bronze, respectivamente, em disputas emocionantes. Com altos e baixos no atletismo, nas quadras e no ringue, Tóquio traz novos recordes a atletas sul-americanos. Confira resumão elaborado pela equipe da cobertura colaborativa da NINJA Esporte Clube.

Foto: Miriam Jeske / COB

Ginástica Artística Feminino

Rebeca Andrade traz o segundo ouro para o Brasil em Tóquio! O primeiro da história da ginástica brasileira em Olimpíadas! Em uma apresentação incrível, com um primeiro salto sendo uma pirueta e meia, conseguindo 15.166, e um segundo salto com duas piruetas e meia, a ginasta brasileira fez 15.083 de média. Rebeca, além de superar as duas principais adversárias e campeãs mundiais, é a primeira brasileira a ir duas vezes ao pódio em uma edição das Olimpíadas.

Atletismo Feminino

A campeã brasileira e sul-americana, Tatiane Raquel, uma das representantes brasileiras no 3000m com obstáculos, bateu o recorde do país na modalidade. O tempo de 9 minutos e 36 segundos é quase 20 segundos menor que o recorde anterior, mas ainda assim, ela não conseguiu avançar para a final olímpica. Simone Ferraz, outra brasileira que participou da disputa, mas em uma bateria diferente da de Tatiane, também lutou para conseguir se classificar entre as três primeiras do seu grupo.

Dona de quatro medalhas no Ibero-Americano, Eliane Martins esteve na Rio 2016 e participou hoje na prova do salto em distância mas depois do terceiro salto, ela não se classifica em Tóquio. Eliane segue na luta pelo segundo ouro feminino no salto em distância em Olimpíadas. Estamos torcendo por este momento! Valeu meninas, vocês são grandes atletas e ainda vão muito longe!

E um destaque especial de nossa equipe para insuperável venezuelana Yulima Rojas, que simplesmente deixou todos chocados com a marca que bateu no salto triplo dos Jogos Olímpicos. A venezuelana destruiu: saltou 15 metros e 67 centímetros, 17 centímetros acima do recorde que já durava 26 anos – quebrando os recordes mundial e olímpico. A vitória de Yulimar não é apenas da Venezuela, mas também uma vitória com muito orgulho: ela é lésbica declarada e ativista pelos direitos da comunidade LGBTQIAP+.

Atletismo Masculino

E Piu bateu o recorde sul-americano sobrando na corrida dos 400m com barreira em uma disputa emocionante. Ele foi o primeiro em sua bateria e garantiu vaga na final. Chance vreal de medalha amanhã para Alison dos Santos. Na semifinal dos 100m rasos, Paulo André largou mal, acabou ficando em último na serie com o tempo de 10s31, longe de seu melhor tempo. Não chegou à final mas está de parabéns. Ele aguarda ainda o revezamento pra tentar buscar a medalha.

Boxe Masculino

Em luta dura o brasileiro Hebert Conceição de Salvador Bahia venceu seu oponente o kazaquistanes Abikhan Amankul por decisão dos juízes. Com esse resultado Hebert está nas semifinais já garantiu no mínimo o bronze, mas está com garra na disputa pelo ouro olímpico.

 

View this post on Instagram

 

A post shared by NINJA E.C (@ninjaesporteclube)

Luta Olímpica

O equilíbrio da luta do Eduard Soghomonyan ficou bem claro com o resultado do placar, que no final dos dois rounds fechou em 2 a 0. Para nossa tristeza a vitória ficou com o alemão, mas a nossa torcida continua com nosso guerreiro. Mesmo se mantendo firme na luta, a nossa Aline Silva não conseguiu vencer a superioridade da turca que avançou para as quartas de final com o placar de 6 a 0. Nossa guerreira lutou feito uma garota a medalha não veio, mas sempre será nossa campeã.

Tênis de Mesa

Equipe feminina de tênis de mesa mostra excelente desempenho em todos os jogos contra a potência de Hong Kong. Mesmo perdendo de 3 a 1, brasileiras mostram excelência técnica e muita garra, dignas de uma seleção olímpica.

Tênis de Mesa Masculino

O Brasil classificou no Tênis de Mesa com 3 vitórias contra 2 da Sérvia. As vitórias vieram com Hugo Calderano (2) e Vitor Ishiy. Gustavo Tsuboi completo a equipe que se classificou para as quartas de final e vai enfrentar a Coreia do Sul.

Natação Masculino

Medalha de bronze mais do que merecida para Bruno Fratus no 50m livre. Com o tempo de 21s57 o atleta conquistou a tão sonhada medalha, mostrando que a persistência, o trabalho duro e a resiliência dão sim bons frutos. O campeão da prova foi o favorito Caleb Dressel, que com 21s07 estabeleceu o novo recorde olímpico. E tem mais novidade: o recorde de César Cielo nesta modalidade está mantido.

Foto: Sátiro Sodré / CBDA

Vôlei Masculino

Disputa emocionante no vôlei de quadra masculino. O primeiro set foi bem jogado por ambos os times, disputado até o final. O Brasil contou com sucessivos erros de saque da França por forçar o saque, fora que Leal diferentemente dos jogos anteriores, jogou muito bem desde o começo, somando às atuações de Wallace, Bruninho e Lucão. Assim o Brasil vence o primeiro set por 25×22. O segundo set durou quase uma hora, disputado ponto a ponto. A França foi melhor em virar as bolas e aproveitar alguns erros do Brasil e o set terminou em 39×37 para os franceses.

No terceiro set, o Brasil arrumou os erros cometidos no segundo set, assim impondo um bom volume de jogo contra os franceses, assim vencendo o terceiro set por 25×17 e colocando um 2×1 no placar. No quarto set, a Brasil até impôs uma certa vantagem para a França, mas após alguma alterações, o time francês começou a jogar bem, empataou e virou o jogo. Contudo, o final do set foi todo da França e por 25×21, fomos ao set de desempate. No Tie Break, mais uma vez que houve um forte teste cardiaco na torcida. Que set de desempate! Começou com uma forte vantagem que logo foi superada pela França, assim comecando a alternança de pontos entre os times com um três match points para os franceses mas que foram superados por Lucarelli e Leal que puxaram a reação brasileira e vitória por 20×18. Que jogo! Que jogo!

Vôlei de Praia Feminino

Infelizmente não deu para a dupla numero número 1 do mundo. Vindo de uma 1ª fase turbulenta após a derrota para China, mas mostrando a que veio ao derrotar brilhantemente as canadenses, Duda e Ághata vieram pra cima das oitavas! Agatha e Duda tentaram muito, foram guerreiras, jogaram super bem, mas a dupla alemã estava inspirada e conseguiu fechar o tie break. Foi por muito pouco.

Handebol Masculino

Manhã triste para os brasileiros que assistiram ao Handball masculino, com esperança de classificação. O jogo começou com o Brasil pressionando com até 2 pontos de vantagem, mas o trabalho do poderio ofensivo alemão foi grande, competitivo o tempo todo. Ainda no primeiro tempo, a equipe foi ultrapassada pelos alemães, depois da grande perda do grande goleiro Ferrugem, que havia salvado o Brasil em todos os jogos. Rangel foi o substituto e não manteve o mesmo nível, com a Alemanha se destacando especialmente em bolas de longe.

Para o 2° tempo já com 4 pontos de vantagem, a equipe alemã só ampliou mais o placar, e enquanto isso o Brasil nervoso e instável. No final, com certos sinais de reação, mas nada contundente. O Brasil ainda tem um jogo contra a França, porém sem chance de seguir sua trajetória, uma despedida dolorosa, é claro, com tantos treinamentos que o grupo deve ter efetuado, mas em momentos difíceis como esse é importante perceber uma lição a ser aprendida, a de amadurecimento.

Vela

Sem medalha, Robert Scheidt finaliza sua sétima participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio, posicionando-se em 9º na “medal race”, a última regata da classe Laser, e na 8º posição geral. Dos três pódios olímpicos que Scheidt já conquistou na carreira, três foram na classe Laser, a mesma na qual competiu no Japão.

Hipismo

Neste sábado/domingo, os cavaleiro do hipismo seguiram na competição completa da modalidade avançando para a etapa do cross-country. Com placar finalizado,Marcelo Tosi fecha em 24º e Carlos Parro fecha em 33º. Só deu pra Fuiloda G, a égua de Rafael Losano, que desistiu ao final da prova. 

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Colunista NINJA

Memória, verdade e justiça

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

Através do Equador

XEPA

Cozinhar ou não cozinhar: eis a questão?!

Mônica Francisco

O Caso Marielle Franco caminha para revelar à sociedade a face do Estado Miliciano

Colunista NINJA

A ‘água boa’ da qual Mato Grosso e Brasil dependem

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida

Na defesa da vida e no combate ao veneno, a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos completa 13 anos

Bella Gonçalves

As periferias no centro do orçamento das cidades

Márcio Santilli

Desintegração latino-americana

Márcio Santilli

É hora de ajustar as políticas indígenas

André Menezes

Mais uma vez Vinicius Jr ficou esperando o cartão vermelho para atitudes racistas de torcedores, e ele não veio

Movimento Sem Terra

O Caso Marielle e a contaminação das instituições do RJ