Documento indica que massagista do E.C. São Bernardo mencionou o caso para ameaçar a equipe de arbitragem.

Foto: Reprodução Esporte Clube São Bernardo

Por Tácio Santos para a NINJA Esporte Clube.

São Bernardo e Primavera se enfrentaram na terça-feira (05) pela Copa Paulista. A partida foi realizada no Estádio Primeiro de Maio, em São Bernardo do Campo, e terminou com vitória do Primavera por 1 a 0.

No dia seguinte, o confronto teve a repercussão habitual, tratando do placar e da classificação das equipes envolvidas. Contudo, a partida voltou a ser notícia durante o final de semana. Desta vez, o motivo foi extra campo, e devido à divulgação da súmula.

Ao término do jogo, Bruno Costa, do time da casa, levou um cartão vermelho por xingar o árbitro Humberto José Júnior, e seguiu agredindo-o verbalmente mesmo após a sanção disciplinar. Segundo o assistente Anderson José, neste momento, o massagista do São Bernardo, Jordaite Barreto, proferiu as seguintes palavras:

“Hoje tem quinze aqui de vermelho, contra nós, vieram arrumar.”
“Por isso tem que chutar a cabeça desses caras, igual lá no Sul.”

Na primeira sentença, Jordaite se refere à cor da camisa do Primavera, insinuando que a equipe de arbitragem integrava o time adversário. O segundo trecho é uma referência à agressão que ocorreu no dia anterior em partida válida pela divisão de acesso do Campeonato Gaúcho. O então jogador do São Paulo de Rio Grande, William Ribeiro, derrubou e chutou a nuca do árbitro Rodrigo Crivellaro após um cartão amarelo por reclamação.

Crivellaro teve uma lesão ligamentar na vértebra C6, que é uma região da coluna cervical em que traumas estão associados a um alto risco de paraplegia (felizmente, não foi o caso). Ele se recupera em casa, na cidade de Santa Maria-RS, e ficará afastado de suas atividades profissionais como árbitro de futebol e personal trainer por 90 dias. Já William, teve seu contrato com o clube rescindido, e foi indiciado por homicídio culposo qualificado por motivo fútil.
A NINJA Esporte Clube noticiou o ocorrido, e ouviu com exclusividade a árbitra Renata Ruel, que também é comentarista dos canais ESPN, Fox Sports e Disney. A matéria pode ser acessada aqui.

Na segunda-feira (11), o São Bernardo emitiu uma nota de esclarecimento.

“O EC São Bernardo destaca que repudia veementemente qualquer ato de violência contra arbitragem ou qualquer cidadão. Por isso, o clube informa que está apurando a situação citada na súmula do jogo entre EC São Bernardo e EC Primavera, pela última rodada da Copa Paulista.

O árbitro da partida descreve que o massagista do EC São Bernardo tenha proferido palavras de ódio em referência a absurda ação ocorrida na Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho. No entanto, nenhum funcionário ou participante do entorno presenciou tal fala. O Cachorrão, antes de tomar qualquer medida, aguardará o julgamento do profissional no TJD.”

O E.C. São Bernardo está em segundo lugar no Grupo C, e recebe o líder São Bernardo F.C. no feriado de 12 de Outubro. Será a terceira edição do dérbi citadino, que até o momento, registra uma vitória para cada lado. O Primavera, que é o terceiro colocado, vai à Vila Belmiro na quarta-feira (13) para enfrentar o time B do Santos, que está na última posição.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Ana Claudino

Eles odeiam gente como nós

Renata Souza

A cor da resistência

Colunista NINJA

Contra ataques, afirmamos o ENEM como instrumento de democracia

Colunista NINJA

MARIGHELLA, o roteiro

Agatha Íris

Mister Trans Brasil, seria o seu conceito de beleza embranquecido e normativo?

Laryssa Sampaio

Meu pequeno país: o genocídio e a guerra em Ruanda pelo olhar de Gabriel

Rachel Daniel

São Paulo é a Sodoma de nossos tempos, o gado da Bovespa o bezerro de ouro

Márcio Santilli

Semipresidencialismo é o centrão sempre com o poder na mão

Alexandre Araújo

Copo "meio cheio" não salva uma casa em chamas

Bruno Trezena

Eu não conhecia Bolsonaro

Márcio Santilli

Farsa bolsonarista na COP-26

Bancada Feminista do PSOL

Manifesto Juventude Negra Viva e Livre

Agatha Íris

Mister Trans Brasil, seria o seu conceito de beleza embranquecido e normativo?

Amanda Pellini

Criatividade e resistência. Entrevista com Fábio Miranda, criador do projeto Instituto Favela da Paz

Colunista NINJA

Leal, honesto, amoroso: "Marighella" evoca resistência, enche de tensão e faz chorar