Foto: Lance!

No final do ano passado, a Soul Cap, empresa de acessórios de natação que tem como carro-chefe toucas de borracha para cabelos crespos, solicitou a Federação Internacional de Natação (FINA) que suas toucas pudessem ser usadas em competições oficiais, entre elas as Olimpíadas.

Nesta semana a federação informou que não irá permitir as toucas em nenhum tipo de competição reconhecida pela entidade porque os atletas competidores “nunca usaram nem exigem o uso de toucas desse tamanho e configuração” e elas não se ajustavam “à forma natural da cabeça”.

A natação é uma das modalidades onde a desigualdade no número entre atletas negros e brancos se escancara.

No Brasil, nem 6% dos atletas que já representaram o país em olimpíadas, em 100 anos, desde a primeira participação em Antuérpia 1920, eram negros.

O primeiro atleta negro a representar o país na modalidade em olimpíadas foi Edvaldo Valério, o bronze no revezamento 4×100 livre em Sydney 2000.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Mariane Santana

A volta do ABBA e o futuro (presente) dos shows

Agatha Íris

Quem defende as crianças que são vítimas de abuso e estupro de vulnerável?

NINJA Esporte Clube

Pretos na Biblioteca: projeto idealizado por Gabizona do vôlei busca combater o racismo através da educação

NINJA Esporte Clube

A’ja Wilson: uma voz potente e necessária

NINJA Esporte Clube

Ginasta Luis Porto foca na preparação para próximas competições, após corte inesperado do Mundial 2021

Flávio Renegado

Vinte e Três Minutos… 

Márcio Santilli

Direita rachada

Talles Lopes

Morro do Fogo: fé e luta quilombola

Bancada Feminista do PSOL

Sampaprev 2: um ataque a quem esteve na linha de frente contra a Covid

Lais Gomes

Me deixa reclamar!

Andréia de Jesus

Indígenas latinos são transformados sistematicamente em imigrantes por mais de 500 anos!

Laryssa Sampaio

O Peso do Pássaro Morto: perdas, reencontros, encontros e fim

Andréia de Jesus

Zema expressa todo seu preconceito social

Laryssa Sampaio

Pelo direito de pensar e decidir se queremos ou não ser mães

Márcio Santilli

Nem autogolpe e nem impeachment