Conheça a origem do breaking e a importância de ter este esporte nas Olimpíadas de Paris em 2024

Foto: Marcelo Maragni / Red Bull Content Pool

Por Marina Lopes

Com o intuito de deixar os Jogos Olímpicos mais urbanos e equidade de gênero, gerando a oportunidade de se conectar com uma geração mais jovem, o Comitê Olímpico Internacional confirmou a presença do breaking no programa das Olimpíadas de Paris 2024.

Nos Jogos Olímpicos de Tokyo, esportes como, surfe, skate e escalada esportiva foram acrescentados por esses mesmos motivos e o resultado foi atletas de 13 anos ganhando medalha de ouro e o mundo acompanhando carisma, talento e quebra de recordes.

O breaking é uma forma enérgica de dança hip-hop, modelada e popularizada por afro-americanos e latinos dos EUA, que inclui footwork e movimentos atléticos, como giros para trás ou de cabeça. Os dançarinos são chamados de b-boy ou b-girl, a dança break originou na cidade de Nova York durante o final dos anos 1960 e início dos anos 70, incorporando movimentos de uma variedade de fontes, incluindo artes marciais e ginástica. E é assim que será chamada nas Olimpíadas de Paris, break.

Em um comunicado à imprensa, Pelezinho, um dos principais nomes brasileiros no break dance, afirmou:

“De alguns anos para cá, o breaking vem evoluindo muito. As pessoas que não têm total conhecimento do que é terão acesso a mais informações sobre o estilo e os movimentos. A visibilidade vai agregar em muitas coisas no futuro. O Brasil tem muita chance de medalhas, mas vai depender de como será formado o comitê e o sistema de disputas”

Os critérios de classificação para a Olimpíada ainda não foram publicados e dependem da criação de um calendário internacional oficial e unificado, que também inclua critérios de inscrição em cada torneio. Desafio pelo qual o skate passou, já que até quatro anos atrás não tinha um circuito mundial. E em comparação com o skate, o breaking parece estar bem mais avançado.

Paris está logo ali, e nós estamos ansiosos para receber este esporte de grande representatividade e entretenimento. Os Jogos Olímpicos acontecem entre os dias 26 de julho e 11 de agosto de 2024.

Texto produzido em cobertura colaborativa da NINJA Esporte Clube

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Márcio Santilli

‘Caminho do meio’ para a demarcação de Terras Indígenas

Jade Beatriz

CONAE: Um Marco na Revogação do Novo Ensino Médio

Ediane Maria

O racismo também te dá gatilho?

Bancada Feminista do PSOL

Transição energética justa ou colapso socioambiental: o momento de decidir qual rumo seguir é agora

XEPA

Escutar os saberes ancestrais para evitar a queda do céu, o sumiço do chão e o veneno no prato

Instituto Fome Zero

MST: 40 anos de conquistas e de ideias que alimentam a esperança de um mundo sem Fome

André Menezes

Eu preciso falar sobre o desfile da Portela

William Filho

Minha dica ao novo secretário de Justiça

André Menezes

Tá no sangue: um papo sobre samba com os irmãos Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira

Márcio Santilli

Bancada da Bala vai às urnas com todas as armas

William Filho

Multar usuários é legalizar a propina