A seleção canarinho vence a Alemã por 4×2 na estreia do Futebol Masculino

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Por Davi Vasconcelos e Gabriel Duarte para Cobertura Colaborativa NINJA Esporte Clube

O Brasil vence a Alemanha na estreia do Futebol Masculino nas Olimpíadas de Tóquio 2020, pelo placar de 4×2. Richarlison fez o seu primeiro Hat-Trick da carreira com a camisa 10 da seleção e Paulinho fechou a conta no segundo tempo. Amiri e Ache descontaram para a Alemanha. O jogo reeditou duas finais incríveis: a da Copa de 2002 e a final da Rio 2016, no estádio Internacional de Yokohama, onde o Brasil conquistou o penta com dois gols de Ronaldo Fenômeno.

O jogo parecia que ia ser equilibrado no primeiro tempo, quando o time de Stefan Kuntz estava tocando a bola ao estilo Guardiola tentando abrir uma brecha na defesa brasileira. Mas Kuntz não contava com a astúcia de André Jardine, que estudou seu time e montou a seleção brasileira para colocar os alemães na roda. Com este esquema, Jardine deu uma aula tática no primeiro tempo, onde os jogadores brasileiros subiram as linhas de marcação e com as falhas do sistema defensivo alemão, Richarlison, o pombo, fez os seus três gols ainda no primeiro tempo, assim criando um vantajoso placar para o time de Jardine.  

O Brasil sofreu mais do que deveria na segunda etapa. Com a vantagem no placar, continuou pressionando e criando boas chances de gol, que não foram convertidas. Aos 11, após chute de Ritcher que explodiu em Nino, a sobra de bola fica com Amiri, que chuta forte e marca após quique da bola, que engana o goleiro Santos. Aos 17, o volante Arnold recebe seu segundo cartão amarelo após choque forte com Dani Alves e é expulso. Em sequência, mais um gol: bola na área brasileira, Ache sobe mais que Diego Carlos e cabeceia firme para o gol. 3 a 2.

Mesmo com o baque dos gols sofridos, o Brasil tinha a vantagem numérica e no placar e ainda jogava melhor, ainda que abaixo do produzido na primeira etapa. A decisão do jogo estava nas mãos da seleção brasileira. Malcom, Paulinho e Reinier entraram nos lugares de Claudinho, Antony e Richarlison e criaram algumas chances pontuais. Paulinho, pela esquerda, foi o que levou mais perigo. Em uma dessas oportunidades, o atacante do Bayer Leverkusen recebeu uma bola em profundidade de Bruno Guimarães, arrancou pela lateral esquerda, entrou na área, limpou o lance e bateu no ângulo direito do goleiro Müller. Na comemoração, um tiro com a flecha de Oxossi. Como publicou Paulinho antes do jogo, Exu iluminou. Final de jogo, 4 a 2 para o Brasil, que enfrenta a Costa do Marfim no próximo domingo, 25, pela segunda rodada do grupo D.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Colunista NINJA

Memória, verdade e justiça

FODA

Qual a relação entre a expressão de gênero e a violência no Carnaval?

Márcio Santilli

Guerras e polarização política bloqueiam avanços na conferência do clima

Colunista NINJA

Vitória de Milei: é preciso compor uma nova canção

Márcio Santilli

Ponto de não retorno

Andréia de Jesus

PEC das drogas aprofunda racismo e violência contra juventude negra

Márcio Santilli

Através do Equador

XEPA

Cozinhar ou não cozinhar: eis a questão?!

Mônica Francisco

O Caso Marielle Franco caminha para revelar à sociedade a face do Estado Miliciano

Colunista NINJA

A ‘água boa’ da qual Mato Grosso e Brasil dependem

Márcio Santilli

Mineradora estrangeira força a barra com o povo indígena Mura

Jade Beatriz

Combater o Cyberbullyng: esforços coletivos

Casa NINJA Amazônia

O Fogo e a Raiz: Mulheres indígenas na linha de frente do resgate das culturas ancestrais

Rede Justiça Criminal

O impacto da nova Lei das saidinhas na vida das mulheres, famílias e comunidades

Movimento Sem Terra

Jornada de Lutas em Defesa da Reforma Agrária do MST levanta coro: “Ocupar, para o Brasil Alimentar!”