.

Por Deisy Nascimento para Cobertura Colaborativa NINJA Esporte Clube

O Brasil tem um histórico incrível relacionado às paralimpíadas! E nos Jogos Paralímpicos de Tóquio chega com uma meta bastante especial, a de fazer história em busca da centésima medalha de ouro.

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) está otimista e buscará com os atletas brasileiros alcançar a histórica marca.

Para quem ainda não sabe, as primeiras conquistas vieram em 1984, nos Jogos de Nova York e Stoke Mandeville. Na ocasião, foram sete medalhas de ouro, 17 de prata e quatro de bronze. Uma das pioneiras foi Márcia Malsar, ela subiu ao lugar mais alto do pódio na prova nos 200m rasos. “Fiquei muito emocionada quando subi ao lugar mais alto do pódio. Foi muito lindo!”, disse Márcia, que está com 61 anos.

Em 2016 nos jogos disputados no Rio de Janeiro, a delegação brasileira conquistou 14 medalhas de ouro, e se for feita uma avaliação em relação a edição passada das paralimpíadas, existe uma grande possibilidade dessa meta ser alcançada.

A delegação brasileira estará em Tóquio com 253 atletas competindo. Essa é maior delegação da história em um evento fora do país.

E a Ninja Esporte Clube está na torcida para que os atletas alcancem essa meta histórica.

Conheça outros colunistas e suas opiniões!

Mariane Santana

A volta do ABBA e o futuro (presente) dos shows

Agatha Íris

Quem defende as crianças que são vítimas de abuso e estupro de vulnerável?

NINJA Esporte Clube

Pretos na Biblioteca: projeto idealizado por Gabizona do vôlei busca combater o racismo através da educação

NINJA Esporte Clube

A’ja Wilson: uma voz potente e necessária

NINJA Esporte Clube

Ginasta Luis Porto foca na preparação para próximas competições, após corte inesperado do Mundial 2021

Flávio Renegado

Vinte e Três Minutos… 

Márcio Santilli

Direita rachada

Talles Lopes

Morro do Fogo: fé e luta quilombola

Bancada Feminista do PSOL

Sampaprev 2: um ataque a quem esteve na linha de frente contra a Covid

Lais Gomes

Me deixa reclamar!

Andréia de Jesus

Indígenas latinos são transformados sistematicamente em imigrantes por mais de 500 anos!

Laryssa Sampaio

O Peso do Pássaro Morto: perdas, reencontros, encontros e fim

Andréia de Jesus

Zema expressa todo seu preconceito social

Laryssa Sampaio

Pelo direito de pensar e decidir se queremos ou não ser mães

Márcio Santilli

Nem autogolpe e nem impeachment