Memes e recortes feitos por fãs nas redes sociais despertam interesse por filmes, séries e novelas brasileiras

Reprodução: Globo

Por Victor Meira

Vídeos curtos feitos por fãs e admiradores têm resgatado o interesse por produções brasileiras nas redes sociais. A hashtag #HildaFuracao, que faz referência à minissérie da Rede Globo de 1998, soma mais de 178 milhões de visualizações no Tiktok. Os altos números aconteceram após fancams – da tradução livre ‘câmera de fã’ – começarem a viralizar.

@mrluzs Não ficou sicronizado mas é isso #hildafuracao #anapaulaarosio #rodrigosantoro #novelas #globoplay #brazil #fyp #viral ♬ som original – .

Os usuários comentam sobre a química dos protagonistas da minissérie, Ana Paula Arósio e Rodrigo Santoro, que interpretam Hilda Furacão e Frei Malthus. A trama rendeu até memes comparando a produção com Fleabag, série britânica da BBC em que a protagonista se apaixona por um padre.

Nota-se um interesse do público na minissérie, gerando um engajamento tanto de brasileiros quanto de usuários de fora do país. Além de demonstrar como as obras nacionais não ficam para trás em suas temáticas e em suas atuações.

Reprodução: Warner Bros Pictures Brasil

Um movimento parecido aconteceu com Bingo: O Rei das Manhãs, filme de 2017 de Daniel Rezende. Vladimir Britcha, estrela do longa, despertou curiosidade das pessoas no X (Twitter) após um vídeo bater 15 milhões de visualizações na rede social.

O viral trouxe comparações do filme brasileiro com Coringa (2019) do diretor Todd Phillips, já que as duas histórias são dramas com palhaços. O filme de Phillips foi um sucesso mundial e alcançou a marca de US$1 bilhão. Além disso, os exemplos não param. Um vídeo da atriz Fernanda Torres em “Eu Sei Que Vou Te Amar”  soma mais de 3 milhões de visualizações na mesma rede.

Os vídeos curtos despertam a curiosidade do público online em consumir cinema brasileiro. Podem indicar um novo jeito de consumir conteúdo nacional, ou uma nova forma de criar interesse por essas histórias. 

Em um cenário sem cota de tela, os filmes nacionais caíram em 17% de rendimento em 2023, segundo uma matéria do Poder360 com dados da Ancine. Ao mesmo tempo que o público que frequenta os cinemas cresceu em 18,3% em relação ao ano anterior. Apesar de uma baixa na arrecadação, as obras nacionais podem encontrar sua audiência em outras telas.

Para uma entrevista ao podcast Braincast, Rosane Svartman, cineasta e escritora de novelas como Vai na Fé e Bonsucesso, conta que já ouviu sobre pessoas que assistiram suas novelas pelo Tiktok.

“Isso é que é espontâneo, é bacana da gente observar, estudar e ver o que a gente pode trazer […] É promoção pra novela? Sim, talvez dependendo de como coloca esse conteúdo até no perfil oficial da Globo. Será que a gente pode experimentar algumas coisas diferentes? Será que a gente não pode pensar conteúdo pro Tiktok como um spin off?” – explica Svartman.

Segundo a autora, a hashtag #VaiNaFé sobre a sua novela, contou com mais de 3.3 bilhões de visualizações nas redes.

Os memes também não ficam de fora, a página Tapas & Beijos out of context publica pequenos recortes da série estrelada por Fernanda Torres e Andréa Beltrão, que depois são utilizados para memes e piadas em outros contextos.

Para 2024, o audiovisual brasileiro segue no aguardo para sancionar a cota de tela aprovada pelo Senado no fim do ano passado, além das discussões acerca da regulação das plataformas de streaming. Mas por ora, a formação de público do cinema brasileiro segue forte nas redes sociais com seus virais, fancams e recortes dos seus admiradores.

Hilda Furacão, Tapas & Beijos e Vai Na Fé estão disponíveis na Globoplay, enquanto Bingo: O Rei das Manhãs está disponível na HBO MAX.