Com mais de 217 mil notificações de dengue nas primeiras quatro semanas de 2024, o Brasil enfrenta uma epidemia de dengue

Foto: reprodução

O Instituto Butantan está prestes a concluir o desenvolvimento de sua vacina contra a dengue, com a expectativa de submeter dados à Anvisa ainda este ano. Prevê-se a administração das primeiras doses em 2025, em meio a um surto da doença agravado pelo aquecimento global e El Niño.

A vacina do Butantan apresenta eficácia de 79,6%, semelhante à Qdenga, com destaque para a aplicação em dose única, simplificando a logística e aumentando a adesão à vacinação, sendo vantajosa em surtos e viagens. A compatibilidade com a vacina da Takeda ainda é incerta.

Iniciando em 2009 com a aquisição da fórmula do NIH, o Butantan acelerou o desenvolvimento em parceria com a MSD, realizando ensaios nos EUA e Brasil. Estudo nos EUA registrou reações leves, e a eficácia para diferentes tipos de vírus da dengue foi de 89,5% e 69,6%, respectivamente.

Com mais de 217 mil notificações de dengue nas primeiras quatro semanas de 2024, o Brasil enfrenta uma epidemia. O infectologista Stefan Cunha Ujvari destaca que a vacina do Butantan é crucial diante da escassez da Takeda, oferecendo uma alternativa promissora para conter a propagação da doença.