Lula manifestou preferência por Lewandowski para o cargo desde a indicação de Dino para o STF

Ministro Ricardo Lewandowski em sessão do Supremo Tribunal Federal. Foto: Carlos Humberto/SCO/STF

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, aceitou o convite do presidente Lula para se tornar o novo ministro da Justiça, em substituição a Flávio Dino. Lewandowski, que se aposentou do STF em abril de 2023 aos 75 anos, assumirá o cargo que será deixado por Dino, que tomará posse no STF em fevereiro.

A agenda oficial da Presidência indica que Lula terá outra reunião com Flávio Dino e Lewandowski na manhã seguinte para, provavelmente, fazer o anúncio público da nomeação. O nome de Lewandowski para o Ministério da Justiça já era cogitado nas últimas semanas, com o ex-ministro do STF ajustando os nomes da equipe que o acompanharia, caso aceitasse o convite.

Lula manifestou preferência por Lewandowski para o cargo e, desde a indicação de Dino para o STF, diversos nomes foram especulados como possíveis substitutos. Ricardo Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça, e Jorge Messias, advogado-geral da União, foram alguns dos cotados.

Lewandowski dedicou 17 dos seus 33 anos de carreira como magistrado à Suprema Corte do país. Durante esse período, ele desempenhou um papel crucial ao julgar casos de grande importância, abordando questões como a política de cotas raciais em universidades, direito de mulheres e responsabilidade por pessoas com deficiência. Antes de sair do Supremo, foi responsável por presidir o processo de impeachment da então presidente Dilma Rousseff.