A Operação Hinsberg identificou 60 transações dissimuladas para encobrir o desvio dos produtos químicos, resultando em buscas e apreensões na residência de Cariani

Foto: reprodução

A Polícia Federal indiciou o empresário e influenciador digital Renato Cariani, de 47 anos, por associação ao tráfico de drogas equiparado e lavagem de dinheiro. Mesmo com o pedido de prisão do Ministério Público, Cariani permanece em liberdade após a Justiça negar a detenção. O empresário é acusado de envolvimento em um esquema que desviou produtos químicos para a produção de drogas, especialmente crack, no âmbito da Operação Hinsberg.

O indiciamento destaca que Cariani não teria lidado diretamente com as substâncias ilícitas, mas sim com os produtos químicos utilizados na preparação dos entorpecentes. A investigação, que teve início em 2019, revela que o esquema desviou uma quantidade de produtos químicos capaz de produzir 19 toneladas de crack ao longo de seis anos.

A Operação Hinsberg identificou 60 transações dissimuladas para encobrir o desvio dos produtos químicos, resultando em buscas e apreensões na residência de Cariani.

O influenciador prestou depoimento à Polícia Federal em São Paulo nesta segunda-feira (18), sem comentar as investigações antes da sua oitiva. O esquema, que contou com a participação de Cariani, de acordo com a polícia, emitia e faturava notas em nome de grandes empresas, incluindo AstraZeneca, LBS e Cloroquímica, visando ocultar os valores ilícitos recebidos.