O documento também inclui outros nomes como Fernando Souza de Oliveira, secretário interino de Segurança Pública do DF durante os ataques

Foto: Lula Marques

O relatório da CPI dos Atos Antidemocráticos da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) recomenda o indiciamento de mais de 130 pessoas, com destaque para o ex-ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Gonçalves Dias. O general, que estava à frente do GSI durante os ataques às sedes dos três poderes em Brasília, pediu demissão após a divulgação de um vídeo o mostrando no Palácio do Planalto durante a invasão. A posição é diferente daquela tomada pela Comissão Parlamentar Mista de Inquéritos (CPMI) do Golpe no Congresso Nacional.

O documento também inclui outros nomes como Fernando Souza de Oliveira, secretário interino de Segurança Pública do DF durante os ataques, Cíntia Queiroz de Castro, coronel da PM e subsecretária de Operações Integradas da Secretaria de Segurança Pública (SSP), e Marcelo Casimiro Vasconcelos Rodrigues, coronel ex-comandante do 1º Comando de Policiamento Regional da PMDF.

Entre os crimes apontados estão a abolição violenta do Estado democrático de direito, golpe de Estado, dano qualificado com uso de substância inflamável contra o patrimônio da União e deterioração de patrimônio tombado.

A decisão sobre a aprovação do relatório está agendada para esta quarta-feira (29) na CLDF, onde os parlamentares devem analisar as recomendações de indiciamento.

*Com informações do G1