As queixas mais frequentes estão relacionadas às atividades das polícias, respondendo por 43,8% das manifestações

Foto: Marco Evangelista / Imprensa MG

A Ouvidoria de Polícia de Minas Gerais registrou um aumento significativo nas denúncias de má conduta policial ao longo de 2023. Com uma média mensal de 912 reclamações e denúncias, o órgão reportou um total de 8.210 manifestações entre janeiro e setembro, representando um aumento de 31,9% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

As queixas mais frequentes estão relacionadas às atividades das polícias, respondendo por 43,8% das manifestações, enquanto as denúncias compõem 41,4% dos registros. A Polícia Militar lidera as reclamações, representando 48,1% dos casos, seguida pela Polícia Civil com 43,3% e o Corpo de Bombeiros com 8,4%. O levantamento foi divulgado pelo G1.

No último mês, pelo menos três casos de violência policial foram denunciados em Belo Horizonte e Região Metropolitana, intensificando a preocupação em torno do comportamento das forças de segurança. No bairro Goiânia, moradores acusaram a PM de truculência durante uma abordagem a um adolescente no dia de Natal, com imagens de câmeras de segurança mostrando o jovem sendo agredido sem oferecer resistência.

Em Ribeirão das Neves, moradores relataram que pelo menos 12 pessoas foram agredidas por militares após uma confusão causada pelo barulho de caixas de som. Além disso, em 30 de dezembro, passageiros denunciaram uma agressão cometida por policiais contra um motorista de ônibus no Centro de Belo Horizonte, conforme registrado em vídeo.

Os dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública complementam as preocupações, revelando um aumento da letalidade policial em Minas Gerais. Em 2022, foram registradas 136 mortes decorrentes de intervenções de policiais militares em serviço, representando um aumento de 24,7% em relação ao ano anterior.