Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Reportagem do The Intercept Brasil trouxe com exclusividade mais uma denúncia envolvendo a família Bolsonaro. Documentos sigilosos a que o jornal teve acesso mostram que o senador Flávio Bolsonaro financiou e lucrou com a construção ilegal de prédios da milícia do Rio de Janeiro.

Além da cobrança de taxa, grilagem de terras e outras ações feitas pela milícia do Rio, o investimento na construção imobiliária tem sido importante fonte de renda ilegal dos milicianos. Favelas na zona oeste do Rio assistiram a um boom de construções de prédios irregulares nos últimos anos. Sendo o principal financiador do esquema, Flávio Bolsonaro receberia parte do lucro com a construção e venda dos prédios.

O financiamento foi feito graças à rachadinha, trâmite usado para receber dinheiro por meio de laranjas. Neste caso, a rachadinha de Flávio teria sido feita por meio de trabalhadores de seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa do RJ. O caso está sob investigação pela Justiça do Rio de Janeiro e foi apontado como um dos motivos que fizeram Bolsonaro pressionar Moro pela troca do comando da Polícia Federal do RJ.

A informação sobre o investimento ilegal dos prédios das milícias foi confirmada anonimamente por promotores e investigadores ao The Intercept. A investigação aponta que, a partir do cruzamento de informações bancárias de 86 pessoas suspeitas de envolvimento no esquema, que Flávio receberia o lucro do investimento dos prédios através de repasses do ex-capitão do Bope Adriano da Nóbrega e do ex-assessor Fabrício Queiroz.