Nome da 1ª deputada trans da Alerj será apresentado à federação

Em meio às tratativas para a campanha municipal do próximo ano, o nome da deputada estadual Dani Balbi foi aprovado, neste sábado (21), pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), como pré-candidata à Prefeitura do Rio. Agora, o nome será encaminhado à federação “Brasil de Esperança” e submetido à aprovação do PT e do PV, que também compõe o grupo. A decisão foi tomada após votação na 16ª Conferência Municipal do partido.

Dani Balbi, de 34 anos, será a única mulher na disputa. Ela foi eleita, este ano, a primeira deputada transexual da história da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), por 65.815 eleitores – o equivalente a 0,76% dos votos válidos no Estado. Deste total, mais de 46 mil votos foram na Capital.

Militante dos direitos humanos desde os 14 anos, Dani Balbi filiou-se, aos 16, ao Partido Comunista do Brasil, onde destacou-se na defesa dos direitos da população LGBTQIAPN+. Professora e roteirista, Dani Balbi foi a primeira mulher transexual a lecionar na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde conquistou o título de doutora em Ciência da Literatura.

Na Alerj, em oito meses de mandato, protocolou mais de cem projetos, dos quais quatro já se tornaram leis. Uma das suas principais bandeiras é a defesa da qualificação profissional da população LGBTQIAPN+, para a qual propôs projeto de lei que fixa a reserva de 3% das vagas nas universidades do Estado para a população transexual e travesti.

Em sua pauta estão ainda a luta antirracista, o combate às desigualdades sociais e à fome, a valorização da mulher, a sustentabilidade, o meio ambiente, a educação de qualidade, além da valorização dos profissionais da Educação e da ciência e tecnologia.

“A cidade do Rio de Janeiro precisa ser menos excludente, com mais acesso de oportunidades e menos desigualdades. A população mais vulnerável precisa ter acesso ao ensino de qualidade e aos espaços culturais assim como já ocorre com as classes mais abastadas. Não podemos mais admitir que trabalhadores, como os camelôs, pais e mães de família, apanhem na rua pelo simples fato de querer trabalhar. Esses são apenas alguns dos nossos muitos desafios”, destacou a pré-candidata do PC do B.