O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, assegurou que os responsáveis pela invasão serão identificados e responsabilizados

Foto: Ricardo Stuckert

Na noite de segunda-feira (11), a conta oficial da primeira-dama Janja Lula da Silva no X (antigo Twitter) foi alvo de um ataque cibernético, resultando no bloqueio da conta. A invasão, que ocorreu por volta das 21h30, foi seguida por publicações ofensivas contra Janja, o presidente Lula e o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

“Os covardes que compartilham e comentam destilando seu ódio, preconceito e violência também serão identificados”, declarou o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Paulo Pimenta, em um post no X. A Secom emitiu uma nota repudiando a invasão e reforçando que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas.

“Não serão tolerados crimes, discursos misóginos, o ódio e a intolerância nas redes sociais”, conclui a nota da Secom. A situação continua a ser monitorada, aguardando os desdobramentos da investigação por parte das autoridades competentes.

O diretor-geral da Polícia Federal (PF), Andrei Passos, confirmou que o bloqueio da conta foi solicitado pela instituição, que já está conduzindo uma investigação sobre o incidente. Apesar do bloqueio, por volta das 22h45, o perfil da primeira-dama ainda estava ativo, mas todas as publicações ofensivas haviam sido removidas.

Procurado pelo blog, Andrei Passos explicou que o acesso à conta foi bloqueado e que a desativação completa ocorrerá em breve, após a preservação dos dados. A PF está empenhada na resolução do caso, com uma investigação preliminar já em andamento. O inquérito formal será instaurado na terça-feira (12).

Além disso, a Advocacia-Geral da União tomou medidas legais, enviando uma notificação extrajudicial ao X, solicitando o congelamento da conta durante as investigações e a preservação dos dados de acesso, mensagens diretas e endereços de IP.