Em novembro, a PF e forças federais já tinham destruído 130 balsas no rio Madeira, na mesma região

Balsas do garimpo ilegal são queimadas no rio Madeira. Foto: Reprodução

A Polícia Federal e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) destruíram, nesta quinta-feira (4), 23 balsas de garimpo ilegal de ouro no rio Madeira, no município de Autazes, no Amazonas.

A operação conjunta teve por objetivo a identificação, abordagem e inutilização de balsas/dragas que operam a atividade de garimpo ilegal de ouro na calha do Rio Madeira.

A operação teve como resultado a destruição total de 23 balsas/dragas utilizadas à prática de garimpo ilegal, e contou com a participação de Policiais Federais do Grupo de Pronta Intervenção e fiscais do Ibama.

Em novembro, na mesma região, a PF e forças federais já tinham destruído 130 balsas. Na ocasião, centenas de balsas invadiram o rio Madeira e as imagens viralizaram na internet.

A Polícia Federal declarou que atualmente toda a atividade de lavra de ouro no Rio Madeira é ilegal e que, portanto, as ações objetivando a desintrusão dessa importante hidrovia federal continuarão a ser realizadas, assim como serão estendidas em 2022 a outras regiões de garimpo ilegal detectadas no Estado do Amazonas, informou.

Leia mais:

Garimpo ilegal: o interesse de Bolsonaro na obstrução do rio Madeira

90% das mortes no campo em 2021 foram causadas pelo garimpo ilegal

 

Amazônia: Mais de 45 organizações se unem para impedir extinção do Parque Cristalino II