Ao discutir o governo Lula, o deputado reconheceu os desafios enfrentados, destacando o contexto adverso com um Congresso extremamente conservador

Foto: reprodução

Em uma entrevista exclusiva, o deputado Henrique Vieira compartilhou suas análises sobre o primeiro ano de seu mandato parlamentar, bem como suas reflexões sobre o atual cenário político no Brasil. A conversa abrangeu uma variedade de tópicos, desde conquistas notáveis, como o indiciamento de Bolsonaro e de membros do alto escalão militar, até desafios persistentes, como criar maiorias para votação no Congresso Nacional, como vice-líder do governo Lula.

Outro ponto importante foi a liderança na defesa do casamento civil igualitário e a aprovação do projeto de lei que transforma as cozinhas solidárias em política pública de Estado de governo. Henrique Vieira também se tornou presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Reforma Psiquiátrica e da Luta Antimanicomial, sucedendo a deputada Erika Kokay.

“Eu estou muito feliz com o primeiro ano do nosso mandato. Estamos honrando nossas causas. Temos muito a fazer, mas estou feliz. O governo Bolsonaro foi destruidor de políticas públicas”, afirmou o deputado Henrique Vieira

Ao discutir o governo Lula, o deputado reconheceu os desafios enfrentados, destacando o contexto adverso com um Congresso extremamente conservador. No entanto, ele elogiou as iniciativas do governo, como a retomada de programas sociais, investimentos em moradia, combate à fome, valorização do salário mínimo, renovação da Lei de Cotas e avanços em políticas ambientais e indígenas.

Vieira também abordou a aprovação de emendas durante a votação do Orçamento, incluindo uma emenda de Eduardo Bolsonaro. Henrique Vieira expressou preocupações sobre o impacto dessa emenda, que, segundo ele, reflete a pauta da extrema direita. Ele destacou a importância de debater e mobilizar a sociedade diante de medidas que podem prejudicar investimentos em reforma agrária, educação pública e outras políticas sociais.

A entrevista encerrou com uma chamada à mobilização popular e a necessidade de fortalecer a democracia além das fronteiras da política institucional. O deputado enfatizou que o governo Lula, apesar de seus limites e contradições, teve um bom primeiro ano, mas a participação ativa da sociedade é crucial para superar os desafios que se apresentam.

“Nós somos muitos e muitos, somos milhares. Nossa movimentação tem força, vencemos as eleições. Conjuntura difícil é para aumentar a aposta. Enfrentamento político e pedagógico a cultura do ódio. Vamos com fé, com amém, axé, vamos com sindicatos, com os skatistas…”, afirmou o deputado.

Confira a entrevista completa: