A entrega da Moção de Aplausos deve ser agendada para a próxima semana, durante uma cerimônia oficial na sede do Bepe

Foto: reprodução

Na última quarta-feira, os deputados bolsonaristas Rodrigo Amorim (PTB) (que quebrou a placa de Marielle Franco) e Alan Lopes (PL), do Rio de Janeiro, anunciaram que irão entregar uma Moção de Aplausos ao comandante do Batalhão de Policiamento em Estádios (Bepe), coronel Ferreira, em “reconhecimento às ações dos policiais” durante a última partida de futebol entre Brasil e Argentina no Maracanã, onde dezenas de pessoas ficaram feridas, incluindo crianças.

Os deputados têm a prerrogativa de oferecer indicações para moções de aplauso. As indicações são enviadas para a direção da casa legislativa, que aprova. Devido ao histórico de aprovação de moções controversas, como para policiais que cometeram tortura, a atuação dos policiais do Bepe possui grande apoio para aprovação na casa.

A entrega da Moção de Aplausos deve ser agendada para a próxima semana, durante uma cerimônia oficial na sede do Bepe.

A Federação Internacional de Futebol (FIFA) anunciou a abertura de uma investigação após 104 cadeiras quebradas, 17 torcedores detidos e uma argentina presa por injúria racial. A confusão teve início durante a execução dos hinos, quando torcedores brasileiros e argentinos entraram em confronto.

O jogo, com 30 minutos de atraso, terminou com a vitória da Argentina por 1 a 0, sendo a primeira derrota do Brasil em casa nas Eliminatórias e a terceira consecutiva da seleção.