Indicado por Bolsonaro ao STF, Nunes Marques determinou o arquivamento do pedido, alegando que a denúncia deveria ser apresentada à Procuradoria-Geral da República (PGR) ou às autoridades policiais

Foto: reprodução

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Nunes Marques, decidiu arquivar um pedido de investigação protocolado contra o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG). Os dois utilizaram recursos públicos para participar do evento de Bolsonaro na Avenida Paulista, em São Paulo. A solicitação foi feita pela ex-presidente do diretório estadual do PSOL em Minas Gerais, Sara Azevedo.

Indicado por Bolsonaro ao STF, Nunes Marques determinou o arquivamento do pedido, alegando que a denúncia deveria ser apresentada à Procuradoria-Geral da República (PGR) ou às autoridades policiais.

A denúncia pede a investigação sobre o uso de recursos públicos, incluindo passagens áreas, carros oficiais e seguranças públicos. Na prática, o crime de peculato pode ter sido cometido por Zema e Nikolas, além de uso irregular de recursos públicos.

Porém, o ministro considerou que as alegações apresentadas não foram suficientes para justificar a abertura de uma investigação no âmbito do STF, ressaltando a importância de seguir os trâmites legais adequados para apuração dos fatos.

Diante disso, o pedido de investigação contra o governador de Minas Gerais e o deputado federal foi arquivado pelo Supremo Tribunal Federal.