“Me senti usada”, afirmou a vítima. “Eles fizeram uma ‘fila’ e eu conseguia ouvir algumas coisas. Diziam: ‘Vai logo! Deixa que é a minha vez'”. Secretaria de Segurança Pública abriu investigação

Foto: Mídia Ninja

11 policiais militares foram denunciados por uma mulher de 33 anos que foi dopada e sofreu estupro durante uma festa realizada em uma casa alugada no bairro Balneário Praia do Pernambuco, em Guarujá, no litoral de São Paulo. A denúncia foi feita pela vítima nesta quinta-feira (1º) ao portal G1.

De acordo com o depoimento da vítima, ela e uma amiga foram convidadas para a festa, que contava com cerca de 20 pessoas, predominantemente homens. A mulher alega ter sido “dopada” enquanto consumia bebidas alcoólicas no local. Inicialmente, ela teve uma relação consensual com um dos participantes da festa, mas após perder a consciência, os outros se organizaram em uma espécie de fila para perpetrar os abusos.

“Me senti usada”, afirmou a vítima. “Eles fizeram uma ‘fila’ e eu conseguia ouvir algumas coisas. Diziam: ‘Vai logo! Deixa que é a minha vez'”, relembrou.

Os detalhes sobre o crime, além dos que a vítima se recorda, foram fornecidos por um amigo presente na festa, que alega ter interrompido os abusos. No entanto, a mulher suspeita que ele, sendo o único não vinculado à Polícia Militar, também possa ter participado do ato.

A Polícia Militar informou que uma sindicância foi instaurada para apurar a participação de policiais militares no crime. A Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo (SSP-SP) declarou que a Polícia Civil investiga o caso como estupro de vulnerável.

Exames sexológicos e médicos foram requisitados para a vítima, cujo caso foi registrado na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da capital paulista e encaminhado para a DDM de Guarujá, que prossegue com as investigações.

*Com informações do G1