De acordo com dados recentes apresentados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Fundo Amazônia captou R$ 726 milhões somente em 2023

Foto: Mongabay

O Japão anunciou hoje uma contribuição de 400 milhões de ienes, equivalente a cerca de R$ 13 milhões, ao Fundo Amazônia, marcando seu primeiro aporte a essa iniciativa crucial para a preservação da floresta tropical. A notícia foi divulgada durante uma reunião bilateral entre a ministra das Relações Exteriores japonesa, Yoko Kamikawa, e o ministro brasileiro, Mauro Vieira.

Com essa doação, o Japão se junta a outros seis países (Noruega, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, Dinamarca, Suíça) e à União Europeia, que já fizeram contribuições significativas ao Fundo Amazônia.

Embora não seja uma quantia substancial, como reconhecido pelo próprio governo japonês, esse gesto é altamente simbólico, representando o compromisso do Japão com o combate às mudanças climáticas e a conservação ambiental, e é apenas a primeira contribuição. O país promete aumentar esse valor nos próximos anos.

De acordo com dados recentes apresentados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Fundo Amazônia captou R$ 726 milhões somente em 2023, acumulando hoje um total de R$ 3 bilhões disponíveis para projetos de conservação e desenvolvimento sustentável na região.

Além disso, há promessas de mais R$ 3,1 bilhões por parte de outros doadores, os quais devem ser pagos em fases subsequentes, fortalecendo ainda mais o financiamento para iniciativas de preservação na Amazônia.