Comemoração de aniversário ocorreu ao vivo com premiação a artistas nevenses

O Coletivo Semifusa, de Ribeirão das Neves (MG), a 44km da capital Belo Horizonte, é uma das primeiras iniciativas a integrar a rede Fora do Eixo em Minas Gerais, fazendo parte de um amplo circuito de cultura independente que fez nascer a Mídia NINJA em 2013. Atua como forte ponto de articulação da cultural local, com uma agenda permanente de eventos que movimento o circuito de Neves, com mostras artísticas, shows, saraus, premiações, cursos e oficinas. Neste final de semana, o coletivo fez aniversário. Os 12 anos do Semifusa foram tema de uma celebração virtual acompanhada de diversos artistas e produtores da região metropolitana de Belo Horizonte em uma noite dedicada a prêmios.

“12 anos nesse processo é muito significativo pra gente. Nós vimos muita gente crescer, muitos coletivos surgiram, finalizaram, e a gente continua firme e forte. Ainda carregamos muito a cultura da rede Fora do Eixo no nosso coletivo”, disse Rodolfo Ataíde, um dos coordenadores do Semifusa.

Uma das prinicipais motivações do coletivo é construir narrativas positivas para Ribeirão das Neves, reforçando o sentimento de pertencimento dos moradores em relação ao local em que vive. Pois de fato, há uma cena pujante em Neves que poucos conhecem e há uma vasta possibilidade de crescimento profissional por meio das ações que o próprio Semifusa movimenta na região. Fundado em 2009, o Semifusa conta com profissionais da história, ciências sociais, marketing, publicidade, assistência social que desenvolvem juntos novas formas sistemáticas de inserção dos jovens na sociedade.

Rodolfo lembra que um pouco dessa ansiedade por uma agitação no circuito metropolitano era o que estava à tona quando conheceu a rede Fora do Eixo em 2008, antes de fundar o Coletivo Semifusa. “Nossa relação começou em um show com Macaco Bong e Burro Morto. Era uma Noite Fora do Eixo (evento produzido pelos coletivos da rede em diversas cidades) no final de 2008 em Belo Horizonte. Havia muitos coletivos de Minas Gerais, e já sabia de alguns coletivos de Sabará, Vespasiano, conheci o Fora do Eixo e conversamos bastante sobre a realidade dos coletivos culturais, sobre a região metropolitana e falamos de formar uma grande rede de festivais de música”, disse Rodolfo.

Foto: Coletivo Semifusa

Já havia um desejo de montar uma produtora cultural em Ribeirão das Neves e a conexão com outras iniciativas e coletivos só estimulou, mais tarde, a fundação do Coletivo Semifusa em 2009. Com o circuito metropolitano de cultura, unindo diversas cidades da região metropolitana, havia um desejo comum: mostrar a potência cultural das cidades que estavam no entorno da capital mineira, um desafio quando se trata de Belo Horizonte, onde se concentra muitos recursos e agentes da cultura provenientes, inclusive, das cidades mais próximas.

“A história do Semifusa é marcada por sonho e resistência”, disse Raquel Freitas, integrante do coletivo desde 2013. “Sonhar de ver a cidade de Ribeirão das Neves valorizando as produções culturais e de resistência porque mesmo no momento de escassez de recursos e um cenário desfavorável, nós defendemos a cultura local através de eventos, cursos, valorização dos artistas da cidade, trazendo bandas de fora pra tocar aqui, dentre outros eventos e produções”.

Hoje, o coletivo também integra a Rede Internacional de Periferias, a Rede de Afroempreendedores da Região Metropolitana de Belo Horizonte, a Rede dos Trabalhadores a Cultura de Ribeirão das Neves e ao Circuito Metropolitano de Saraus. Alguns dos principais projetos são a Feira das Artes da Região metropolitana, o Sarau do Ribeirão, o Festival Pá na Pedra de Artes Integradas, o Festival Neves Encena de teatro e dança.

“Nós crescemos muito com as conexões que fizemos”, disse Rodolfo. “Muita da nossa escola, de formar coletivo, de fazer produção cultural, vem dessas tecnologias produzidas pelo Fora do Eixo. A elaboração de projetos era algo muito distante da nossa realidade e a gente cresceu a partir disso. Foi um processo que teve um impacto muito grande na nossa vida e na nossa cidade”.

É na correria para elaborar, inscrever e aprovar projetos que o Coletivo Semifusa conquistou a possibilidade de comemorar seus 12 anos distribuindo premiações a iniciativas, produtores e artistas de Ribeirão das Neves. O coletivo abriu uma chamada para cadastro aberto em seu portal e, neste domingo de aniversário, anunciou 30 iniciativas contempladas com prêmios de R$ 1.300,00.

“A comemoração de 12 anos é muito simbólica pra gente. Na live de domingo, nós anunciamos os premiados do Prêmio Semifusa de Cultura, que teve como proposta incentivar os artistas e produtores e servir como alento em um momento tão delicado quanto esse, que afeta bastante o setor cultural”, disse Raquel.

Neves EnCena, evento de teatro, circo e dança organizado pelo Coletivo Semifusa