O Brasil sugere a implementação de um calendário que permita aos países desenvolvidos liderarem o processo de eliminação dos combustíveis fósseis

Foto: Ricardo Stuckert

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, anunciou seu apoio à proposta apresentada pelo Brasil sobre o calendário de abandono dos combustíveis fósseis, destacando-a como um elemento crucial para o êxito das negociações climáticas em curso. A declaração foi feita na mais recente coletiva de imprensa realizada durante a COP 28.

Guterres enfatizou que a eliminação gradual dos combustíveis fósseis, alinhada à meta de limitar o aquecimento global a 1,5ºC, é uma peça-chave para a consecução dos objetivos da conferência. Reconhecendo a complexidade desse desafio, o secretário-geral ressaltou a importância de adotar abordagens específicas entre os países, em conformidade com o princípio de “responsabilidades comuns, porém diferenciadas”, estabelecido pela Convenção-Quadro do Clima da ONU em 1992.

A proposta brasileira, apresentada durante as negociações da COP 28, ganhou destaque nas declarações de Guterres. O país sugere a implementação de um calendário que permita aos países desenvolvidos liderarem o processo de eliminação dos combustíveis fósseis, facilitando uma transição energética mais gradual para as nações em desenvolvimento.

Ao endossar a proposta brasileira, Guterres reconheceu que o desafio climático vai além da questão do financiamento. Ele instou os países em desenvolvimento a cooperarem na busca de um consenso que mantenha a ambição do acordo climático, ressaltando a importância da solidariedade global diante do desafio comum.

Com a COP 28 entrando em sua fase final, a expectativa de avanços cruciais nas negociações aumenta. Líderes mundiais enfrentam a pressão de encontrar um terreno comum diante dos desafios climáticos globais, e o respaldo da ONU à proposta brasileira adiciona um elemento de otimismo às discussões.