A gravidade das ameaças levou a defesa de Boulos a acionar diretamente o diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos Rodrigues, já que existe suspeita de integrantes de forças policiais do Estado de São Paulo entre os suspeitos das ameaças

Foto: Mídia NINJA

A Polícia Federal está atualmente conduzindo uma investigação sobre uma série de ameaças de morte direcionadas ao deputado federal e pré-candidato a prefeito de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL).

As ameaças se intensificaram desde que ele anunciou sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL. Mensagens agressivas foram direcionadas ao político, tanto em redes sociais como em outros meios de comunicação. Algumas dessas mensagens incluíram ameaças diretas de morte, como “faça um favor para o Brasil: Morra”, “vai morrer” e “se falar mais besteira, vou ter que te levar para o inferno”.

A gravidade das ameaças levou a defesa de Boulos a acionar diretamente o diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos Rodrigues, em vez de recorrer às autoridades policiais locais. Isso ocorre devido a suspeitas de que os responsáveis pelas ameaças possam ter vínculos com as forças de segurança pública do Estado de São Paulo.

Em uma declaração oficial, a defesa de Boulos afirmou: “Desde o final do ano passado, depois que o PSOL confirmou a pré-candidatura do deputado à Prefeitura de São Paulo, tanto a intensidade quanto a agressividade das ameaças aumentaram”.

A nota também destacou a decisão do deputado em solicitar a intervenção da Polícia Federal, considerando ser uma prerrogativa do cargo e devido à identificação de um dos autores das ameaças como integrante das forças de segurança estaduais.