A medida, se aprovada, representará um avanço significativo no monitoramento das ações policiais, podendo contribuir para a redução de abusos e para o fortalecimento da confiança da população nas forças de segurança

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em seu último ato à frente do Ministério da Justiça, o ministro Flávio Dino anunciou uma proposta que promete transformar o cenário da segurança pública no país. Dino revelou que assinará e enviará à Casa Civil nesta terça-feira (30) um documento propondo a obrigatoriedade de câmeras corporais nas fardas de policiais como requisito do Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

A medida, se aprovada, representará um avanço significativo no monitoramento das ações policiais, podendo contribuir para a redução de abusos e para o fortalecimento da confiança da população nas forças de segurança. O ministro Flávio Dino destacou a importância da iniciativa para o aprimoramento do sistema de segurança pública no país.

“O Sistema Único de Segurança Pública foi criado em 2018 pelo governo do ex-presidente Michel Temer. Agora, estamos propondo incluir no Susp a obrigatoriedade da implantação de câmeras corporais. Será o último documento que vou assinar como ministro da Justiça. As diretrizes técnicas ficarão para o ministro [Ricardo] Lewandowski examinar”, afirmou Dino durante a entrevista.

O Susp, criado com o intuito de promover o compartilhamento de dados e a cooperação entre os órgãos de segurança pública das esferas federal, estadual e municipal, ganhará uma nova dimensão com a possível inclusão da obrigatoriedade das câmeras corporais. A proposta visa aumentar a transparência e responsabilização no exercício das atividades policiais, fornecendo um registro audiovisual dos eventos e interações durante as operações.

A proposta será encaminhada à Casa Civil, onde aguardará análise e possíveis ajustes antes de seguir para apreciação do ministro Ricardo Lewandowski.