Evento acontece entre os dia 9 e 16 de junho, presencialmente em São Luís (MA) e também online, através do site oficial

Colagem do pôster oficial. Foto: Reprodução/Twitter

A partir desta sexta-feira (9), São Luis do Maranhão será palco do 46º Festival Guarnicê de Cinema, que neste ano, também terá programação híbrida. Até o dia 16 de junho, o evento conta com exibições presenciais nos teatros Arthur Azevedo, Napoleão Ewerton – SESC, Aldo Leite e João do Vale. Na parte online, os filmes ficarão disponíveis no site do evento e no aplicativo Cine Guarnicê.

“Pérola”, longa-metragem dirigido por Murilo Benício e baseado em um dos maiores sucessos do teatro brasileiro, escrito por Mauro Rasi, será o filme de abertura do festival. O ator Leonardo Fernandes – que divide o protagonismo do filme com Drica Moraes – está confirmado na cerimônia de abertura do evento.

O filme conta a história da matriarca Pérola, pelo olhar e memória de seu filho Mauro. Uma história acima de tudo sobre o reencontro de uma mãe e seu filho, com conflitos e sonhos traduzidos na construção de uma piscina no quintal de casa. Um retrato de uma família comum, que briga, faz as pazes, comemora, chora e segue cheia de histórias.

O Guarnicê 2023 está dividido entre as mostras competitivas: Longas Nacionais, Curtas Nacionais, Longas Maranhenses, Curtas Maranhenses, Videoclipes e Filmes Publicitários.

Estão presentes na competitiva de Longas Nacionais filmes como “Eu Moro em Qualquer Lugar”, de Márcio Coutinho, “Praia do Silêncio”, de Francisco Garcia, “Rumo”, de Bruno Victor e Marcus Azevedo, entre outros.

Na de Curtas Nacionais, estão obras como “Mãri hi: A Árvore do Sonho”, de Morzaniel Iramari (premiado na 28ª edição do Festival É Tudo Verdade), “Trocando de Pele”, de Willy Johny, “Sobre Elas”, de Bruna Arcangelo, entre outros.

Já na de Longas Maranhenses, destaque para filmes como “De Repente Drag”, comédia LGBTQIAPN+ dirigida por Rafaela Gonçalves, “O Homem Que Namorou a Lua”, de Hill Frazão, e “No Fundo da Terra”, de Milena Carvalho.

“Eu Moro em Qualquer Lugar”; “De Repente Drag”; “Mãri hi: A Árvore do Sonho”. Foto: Divulgação

Além das competitivas, o evento conta também com mostras especiais e paralelas, focadas em temas como cinema infantil, jovem, memória, terror, povos originários, LGBTQIAPN+, protagonismo negro, mulheres cineastas, entre outras.

Homenagens

As atrizes Alessandra Negrini e Áurea Maranhão serão as grandes homenageadas do festival. As artistas, que contracenaram recentemente na série da Netflix “Cidade Invisível”, receberão o Troféu Guarnicê durante a cerimônia de abertura, nesta sexta-feira (9), a partir das 19h, no Teatro Arthur Azevedo (Rua do Sol, Centro).

https://twitter.com/cineguarnice/status/1665825290659024896

https://twitter.com/cineguarnice/status/1663922316768604160

Saiba mais e confira toda a programação do evento no site oficial do 46º Festival Guarnicê de Cinema.