As investigações apuram sua participação em um esquema suspeito de desvio de verbas destinadas a premiações de obras da RFEF

Foto: RFEF/Divulgação

Na manhã desta quarta-feira (3), Luis Rubiales, ex-presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), foi detido após desembarcar de um voo proveniente da República Dominicana no aeroporto de Barajas, em Madri. A ação ocorreu no âmbito de uma operação que investiga um suposto desvio de dinheiro, conforme divulgado pelas autoridades locais citadas pela Tve. Ele foi liberado horas depois.

A prisão de Rubiales sucede a uma busca e apreensão realizada pela Unidade Central Operativa da Guarda Civil (UCO), em colaboração com autoridades da República Dominicana, na residência do ex-presidente no país caribenho.

As investigações apuram sua participação em um esquema suspeito de desvio de verbas destinadas a premiações de obras da RFEF para a empresa Gruconsa, cujo proprietário é seu amigo e sócio, o ex-jogador Nené, nos últimos cinco anos.

Rubiales, que ganhou notoriedade após ter sido banido pela FIFA por três anos devido a um incidente durante a cerimônia de premiação da Copa do Mundo Feminina em 2023, nega veementemente as acusações. Ele declara que todo o dinheiro em suas contas é proveniente de seu trabalho e economias pessoais.

Entre outras alegações, Rubiales refuta acusações de suborno relacionadas à possível escolha da Arábia Saudita como sede da Copa da Espanha, bem como nega envolvimento em atividades imobiliárias em Cabo Verde.

Atualmente, o ex-presidente enfrenta interrogatório sob custódia policial pela UCO, com um prazo máximo de detenção de 72 horas, de acordo com fontes policiais citadas pela Efe.

*Com informações da Ansa